Com amor, todo sonho é possível

Mais achados

Oi, eu de novo aqui, estou com uma revista da Editora Minuano, da Coleção Motivação - Histórias para viver feliz, de nº 20 - Rosana Braga.
Na capa, embaixo (rodapé) uma frase que diz tudo:
Felicidade não é uma ausência de problemas, mas a capacidade de lidar com eles. (H.Jackson Brown Jr.)
Ás vezes nos torturamos, porque vamos engolindo os sapos, pererecas e girinos, querendo ser educadas, mas não adianta, chega um momento na vida que devemos colocar o que nos agrada e o que não nos interessa para fora, precisei me encher de coragem, algumas horas com o psiquiatra para dar um basta e dizer não ao que me incomodava. Faz parte de nosso aprendizado, aprender a dizer não.
Se soubesse o quanto estou bem e aliviada, arrisco a dizer que: -Sou louca, mas estou feliz.
Na página 19 Rosana Braga fala sobre um texto de Mario Quintana -
Deficiências
"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.
"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
"Diabético" é quem não consegue ser doce.
"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
Miseráveis" são todos que não conseguem enxergar a grandeza de Deus.

Moral da História (Rosana Braga)
Não é à toa que ouvimos dizer, repetidas vezes, que "cego é aquele que não quer ver". Porque Mario Quintana foi extremamente feliz e assertivo quando definiu a deficiência da alma humana. A palavra em si quer dizer "falho, imperfeito" e quando usada para mostrar a limitação de alguém, nada é mais evidente do que a carência de alma, de coração.

Dica! (Rosana Braga)
Mais do que julgar alguém por conta de suas falhas, olhe para si mesmo e perceba suas próprias limitações, suas próprias carências. Porque analisar o outro é uma das atitudes mais simples e "arrogantes" que podemos ter; entretanto, transformar uma deficiência nossa em eficiência é algo realmente nobre.

Como estou desentralhando, estou achando textos lindos e este foi muito próprio para o momento, razão pela qual procurei transcrever na íntegra. À medida que escrevo processo as palavras dentro de mim e tenho a certeza de que santa não sou, como ela me disse - "Você se faz de santa, mas não passa de uma louca".
Também nunca quiz ser santa, mas sempre procurei melhorar como pessoa, pondero muito as situações.
Às vezes, escorrego, sou humana, mas já melhorei muito, através da fé.
A fé operou e ainda opera  milagres em mim, isso ninguém me tira. Tenho a minha mãe do céu: Nossa Senhora e seu Filho Salvador que nos momentos mais difíceis atendem à esta filha que muito os ama.
Abraços carinhosos

Um comentário:

  1. Destralhar a alma tbém é necessário. Muitas vezes temos tanta coisa guardada que é necessário colocar pra fora... Na dúvida do que é certo ou errado, pedimos a Maria para passar na frente e iluminar nossas atitudes. Bjks

    ResponderExcluir