Com amor, todo sonho é possível

Você usa vírgulas?

Boa noite, você está bem?
Eu estou indo, prá onde?
Ainda não sei.
Estou deixando a vida me levar, me fortalecendo na Bíblia, lendo sempre e riscando frases no livro, coisa que nunca fiz, antes devorava os livros, sem que marca alguma fosse feita, permaneciam imaculadas suas páginas, mas agora estou marcando textos e frases que me chamam a atenção, retornando a eles para compreender melhor.
Como esta parte do livro Vendedor de Sonhos e a Revolução dos Anônimos, de Augusto Cury, em que o intelectual está lembrando quando foi resgatado do suicídio, pelo mestre:

" -Quero vender-lhe uma vírgula.
  - Uma vírgula? - perguntei eu pasmo. E ele completou:
  - Sim, uma vírgula para que continue a escrever seus textos, pois um homem sem vírgulas é um homem sem história.
A partir desse momento, meus olhos se abriram. Descobri que sempre usara a teoria dos pontos finais em minha  história e não a teoria das vírgulas. Alguém me frustava? Eliminava-o, colocava um ponto final no relacionamento. Alguém me feria? Anulava-o. Enfrentava um obstáculo? mudava de trajetória. Meu projeto estava com problemas? Substituía-o. Sofria uma perda? Virava as costas.
Eu era um professor-doutor que usava os livros dos outros em minhas teses, mas não sabia escrever o livro da minha existência. Meus textos eram descontínuos. Considerava-me um anjo, e os que me frustavam, demônios, sem jamais admitir que fora carrasco da minha esposa, do meu único filho, dos amigos e dos alunos.
Quem elimina todos ao seu redor um dia será implacável consigo mesmo. E esse dia chegara. Mas felizmente encontrei esse enigmático homem e entendi que é possível conviver, sem vírgulas, com cachorros, gatos e até com cobras, mas não com humanos. Frustrações, decepções, traições, injúrias, conflitos fazem parte do nosso cardápio existencial, pelo menos do meu e de quem conheço. E as vírgulas são imprescindíveis. "

Transcrevi, na íntegra, o texto do livro porque não há como resumir, perderia o sentido.
Ao olhar para a minha trajetória percebi quantos pontos finais usei em minha vida. Sempre considerei a mudança de rumo como uma defesa, para não sofrer mais. Hoje, lendo este livro e como iniciante no estudo da Bíblia percebo quanta diferença faz Deus em nossa vida. Tudo o que me acontecia colocava nas Mãos de Deus e os acontecimentos justificava como sendo da Vontade Dele. Quanta ignorância, em todos os sentidos, como pode ser da vontade de Deus:
             l) se nem procurava conhecer a Deus, através das Escrituras;
            2) se nunca busquei a verdade, lendo a Bíblia;
            3) se nunca me dei uma chance verdadeira, através dos ensinamentos de Jesus Cristo.
Estou diante de mim, me conhecendo melhor e a Quem me deu a  Vida.
Meus questionamentos serão direcionados, neste momento, à Quem me conhece melhor que ninguém, à Ele Senhor de todo o Universo, nosso Deus.

Logo iniciarei a leitura do 3º volume: O Semeador de Idéias.

Se você gosta de ler, recomendo a leitura dos 3 livros do Augusto Cury, é desafiante e extremamente envolvente.

Estou passeando muito, logo vêm fotos de mais passeios e como chegaram os tecidos costurando, a todo vapor, as bolsas para o enxoval de bebês do nosso grupo.

Não tenho como fotografar os trabalhos, mas estou amando conhecer pessoas maravilhosas, minhas novas professoras: Josy (pedrarias), Júlia (patch-aplique) e as alunas dos cursos.

Despeço-me porque a costura me espera, deixando abraços muito carinhosos a você que me visita






3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Renata Guidinha25 de junho de 2012 14:16

    Minha querida Maria Teresa!
    Ando me deliciando com a vida, ou melhor com o aprendizado que ela tem me oferecido. Você está absolutamente certa quando se voltou para o estudo Bíblico. Minhas leituras diárias são um encontro com Deus e comigo mesma.
    Sinto muita falta das missas diárias que assistia com um frei franciscano (são os que mais me identifico)em um convento ao lado do local onde eu trabalhava. Voltava renovada a cada homilia, pois o texto bíblico era explicado de uma forma tão especial que o sentido se tornava clarissimo para mim. Hoje aprendi a ler a bíblia dessa forma franciscana e é o alimento para o meu dia.
    Nunca fui muito de pontos finais, virgulas fazem mais a minha cabeça e como vc tenho conseguido passear bastante em família. Isso é viver Deus também.
    Que sejam muito proveitosas suas leituras e que todas possam trazer a paz interior, indispensável para o grande encontro com todos os que nos rodeiam.
    Coloquei a leitura de suas postagens em dia, embora o comentário seja feito só aqui (muito grande por sinal, né?).
    Feliz por saber desse eu novo momento, bjks mil no coração.

    Excluí o comentário, mas já está aí de volta. O computador está uma droga e ao relê-lo vi que muitas palavras ficaram incompletas...

    ResponderExcluir
  3. Oi Maria Tereza, é a Vi, comecei ler a bíblia muito cedo, e a melhor coisa que fiz foi adquirir uma bíblia de estudos de boa qualidade, porque tem coisas que precisam do contexto histórico para compreendermos certas passagens.
    Também faço como os Bereanos(Atos 17:10e11)ouço as pregações, leio estudos e etc, com muita atenção comparando com a bíblia, afinal temos o direito e dever de provar o espirito.(1João4:1)
    E dessa forma Deus vai abrindo o entendimento e fazendo Sua vontade em nossa vida, pois a Vontade de Deus é perfeita.
    Quanto as virgulas, eu concordo que muitas vezes somos intransigentes, pois esquecemos o quanto somos pecadores e passamos olhar só o pecado alheio, se nós lembrarmos da parábola contada por Jesus em Mateus 18:23 seriamos mais complacentes, pois lembraríamos do que fomos perdoados.
    Mas existem relacionamentos que precisam de um ponto final, pois eles colocam em risco a nossa fé, a nossa comunhão com Deus.
    Persevere nesse Caminho.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir