Com amor, todo sonho é possível

Exercendo meu direito a resposta



Sustentei um indivíduo,
vulgo couve-flor,
por mais de 30 anos,
estourando todos os carros
que em sua mão coloquei.
Nunca suas contas pagou,
que precisei honrar,
por conta do CPF,
para o espólio de meu pai receber.
Comeu tudo o que eu tinha e,
também,
o que não possuía.
Tentou me matar,
para de mim se livrar,
de olho em minha casa e aposentadoria.
Me torturando e ameaçando uma vida inteira.
No final me violentou,
para que eu fugisse,
para local ignorado e,
mesmo fazendo BO,
exames no IML,
preso não foi.

Em razão de manobra ardil,
de advogado astuto,
indo com acordo,
feito sob ameaça, 
em 15 de setembro e
que transformou,
em segundos,
um perfeito idiota
em honroso pai de família.
Meus parabéns doutor!!!
A advogada contratada, 
por ter sido acuada,
não me defendeu.

O Juiz insensível,
assinou a sentença em 21 de março,
que só ao criminoso beneficiou.
Ficou com os 2 carros,
que da partilha não constaram.
Levando 40% da casa,
que nada investiu.
Ainda,
fui obrigada a aceitar todas as dívidas dele e da família,
zerando meus pagamentos mensais.
Com 64 anos,
hipertensa, cardíaca e arrebentada da coluna,
fui ignorada e desprezada pelos filhos.
Me resignei ao infortúnio,
como sugeriu a advogada.

Em 16 de abril, o couve-flor,
pessoa ordinária, covarde e inescrupulosa,
mandou email, sem assinar,
me caluniando, difamando e ameaçando.
Em 1º de maio, 
passando muito mal,
tentei, em vão,
pedir socorro ao filho.
Apareceu, em minha casa,
no dia 3 de maio,
sozinho,
com 2 pacotes de biscoitos.
Chateada com o desprezo deles,
fragilizada, 
abri meu coração,
dizendo que o pai ia processar,
por meus filhos tirar.
O Chefe da Quadrilha,
daqui saiu correndo,
para reunir os 6 irmãos, 
levando o pai a tiracolo, 
mostrando aos irmãos da praia,
no dia 5 de maio,
que o pai vivia na paz,
mas que eu,
enlouquecida,
tratamento no "postinho" fazia.
De 5 para 6 de maio,
em minha casa entraram,
só para assustar,
mas com álibi tão perfeito,
não havia como provar,
qualquer suspeita que houvesse.

Graças a Deus,
que de mim se apiedou,
tocou o coração dos filhos da praia,
que aqui vieram me abraçar e
a partir de junho,
começaram a me ajudar.

Recorri à Promotoria,
que nada considerou,
o processo arquivou e,
ainda,
observou:
"Provas não há."
Tentei vários advogados,
não aceitaram a causa,
depois da consulta pagar.

Sumiu do pedaço,
desde 15 de novembro.
Agora, que o processo de ameaça foi arquivado e
os prazos prescreveram, 
está pipocando no caminho para me assustar.
E, mais recente,
parado no carro, em frente ao banco,
aguardando minha saída,
encarando,
para me intimidar;

O couve-flor é protegido,
tudo pode fazer,
é a certeza da impunidade,
incentivando a mais crimes cometer

Depois de ser enlameada,
com calúnias e mentiras, 
o chão perdi,
nada mais tendo a perder,
sem a minha dignidade,
só me resta morrer.
Tornei público,
porque quero que todos saibam,
se algo me acontecer,
o ladino é mais escorregadio que quiabo e
protegido por uma quadrilha do mal.

Abraços carinhosos

0 comentários:

Postar um comentário