Com amor, todo sonho é possível

Sempre, antes...


Sempre, antes que as coisas aconteçam, o coração suspeita.
(Francisco de Morais)
É o que você sente na alma que dá a sensação de plena felicidade e, o sentimento maior é a alegria de viver. Nosso coração sente com mais intensidade as mensagens de amor vindas de uma amizade verdadeira, da música que nos embala, da simplicidade da natureza, do amor que dedicamos aos outros. Não se deixe iludir apenas pela aparência. Vá além, vá mais fundo: procure ver com os olhos do coração!

A curiosidade pela vida é que te conduzirá à velhice com sabedoria. 
(anônimo)
A cada dia a vida nos apresenta novidade. Não feche os olhos diante do novo, do desconhecido, pois você estará fechando os olhos para a vida.
Não tenha medo de perguntar, pois isso demonstra medo de aprender. Queira sempre mais e terá uma vida rica, cheia de experiências, que te fará sábia e feliz!
Agindo assim, você nem verá o tempo passar. E quando se der conta de que está na aurora da vida, vai saber que valeu a pena ter vivido.

Transcrito do livro "Pensamentos & Emoções" de Ana Maria Braga.

Tentando administrar as emoções.
Sempre fomos só e, acabamos só.
De menina, não tínhamos amigos,
nem parentes para conversar.
Fugimos para nos enclausurar,
achando que,
o que não conhecíamos,
ia nos bastar,
Mudamos de ideia,
ao sentirmos que,
a vida podia nos oferecer,
caminhos diferentes da dor do passado.
Jovem, nos achávamos competente,
trabalhávamos com afinco,
queríamos a todo custo,
garantir uma vida digna,
para nossos filhos.
Nosso sonho sempre foi,
a casa cheia,
filhos e netos bem sucedidos e felizes,
todos em volta de nós.
Negamos cantadas,
fugimos de amores escondidos,
que nada acrescentavam.
Mas a carência nos faz olhar,
de maneira distorcida para pessoas,
com planos diferentes dos nossos.
Com fala doce,
com muitas mentiras,
pura ilusão.
Quando acordamos,
já não havia mais saída,
nem forças,
para enfrentar aquele turbilhão.
Nossos sonhos se esvaíram,
Nossas expectativas frustraram,
tudo desmoronou.
Estamos só, muito só.
Nada restou.
Nem lembranças,
pois até isso a memória apagou.







  

0 comentários:

Postar um comentário