Com amor, todo sonho é possível

Onde está a verdade?



Em busca da verdade!!!
Onde a encontro???
Do que vivi no mundo,
percebi,
que a vida não tem lógica,
o que é certo,
se acaba em nada e
o errado,
se transforma em correto!!!

Sempre fui muito franca,
não tenho papas na língua,
mas tenho aversão a mentiras.
Fui obrigada 
a conviver,
com a hipocrisia.
Engolindo sapos,
como forma de sobreviver,
à prisão do meu erro,
na escolha do companheiro.

Num mundo onde:
"Ser autêntico,
é ser doente mental",
"Falar a verdade,
é delírio de louco,
em surto psicótico."
Diante desse quadro,
eu pergunto:
-"Doente psiquiátrico não tem direitos???"
-"Não há proteção para os doentes mentais???"
-"Pedi Justiça e medidas protetivas com base na Lei Maria da Penha... 
não me deram!!!"
-"Quem pratica a psicofobia, não transgride as Leis???

Mesmo passados mais de 60 anos,
do que vivi em minha infância,
o depressivo,
que antes era 
trancafiado no Juquery,
hoje,
vive em liberdade,
responde por tudo que pratica,
paga imposto de renda, 
é negativado,
mas seu pior castigo,
é não ter voz,
proteção ou
credibilidade jurídica.

Assim,
estamos nas mãos de manipuladores,
psicopatas,
que nos sequestram,
exploram,
escravizam,
humilham,
difamam,
desprezam,
seviciam,
ameaçam e
estupram.

Mas,
como para eles,
isso é muito pouco,
roubam nossa família,
nossos sonhos,
nossa dignidade e
nos esfolam viva,
Porque sabem que têm 
a impunidade garantida 
pelos Direitos Humanos.
Nós somos,
apenas,
 mais um número nas estatísticas.

Amo viver, 
Deus
me proporcionou nova vida,
me mantém de pé,
provisionando e
protegendo
contra as ciladas do inimigo.
Tenho a Fé,
como companheira,
luto pela Honra e
pela Justiça,
para restabelecer a minha Dignidade, 
para viver em Liberdade. 

Passados quase 2 anos, da publicação deste texto Indignação, estou ainda mais indignada, ao verificar que nada foi feito com relação aos crimes praticados contra a minha pessoa, pior ainda, pude constatar que, por ter tido um desequilíbrio emocional, em 1983, em razão de um casamento malogrado e por precisar de acompanhamento psicológico e psiquiátrico, para não surtar, por querer o divórcio, serviu para sua defesa:- "Eu nunca a ameacei, ela faz tratamento psiquiátrico."

Tirou proveito de minha fragilidade emocional, para me manter presa, explorando e maltratando uma vida inteira e ainda teve a petulância de me perguntar se eu não ia me desesperar por conta dele me trair e desprezar. Ninguém, em sã consciência, pode amar o que lhe faz mal, foi a minha resposta. Porque, o que esse monstro queria mesmo, é que me suicidasse para deixar a casa e minha aposentadoria para ele.

Ninguém aceitou a minha denúncia com relação às ameças de morte que sofria, alegando falta de provas. Preciso de testemunhas para crimes que ocorreram entre 4 paredes e a única prova que existe, o processo de estupro, foi arquivado e ninguém acha.

No dia 16 de abril de 2013, recebi um email do agressor, me denigrindo, me ameaçando, mas também não constitui prova, porque é tão ordinário, que não assinou, mandou através da minha rede social, como se fosse eu. Começou a me seguir e a encarar, mas a burra não fotografou, também não tenho prova.

Agora eu pergunto, como sair desta???

0 comentários:

Postar um comentário