Com amor, todo sonho é possível

Meu menino



Meu menino, Eu te escutei:
Causas-me dó, Me fazes pena.
Há tanto tempo que espreito tuas persianas cerradas,
abre-as,
Minha Luz te há-de iluminar.
Há tanto tempo me posto à tua porta trancada,
abre-a,
Me encontrarás à soleira.

Eu te espero, os outros te esperam,
mas tens de abrir,
tens de sair de ti.

Por que ficar prisioneiro de ti mesmo?
És livre.
Não fui, Eu quem fechou tua porta,
Não serei Eu quem a possa descerrar,
... pois és tu que, de dentro,
A guardas fortemente aferrolhada.

Poemas para Rezar
Michel Quoist

Abraços carinhosos

2 comentários:

  1. Que belo poema!
    Às vezes a gente não percebe que a porta está fechada por dentro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os poemas de Michel Quoist são muito especiais e sempre nos tocam, porque, muitas vezes, involuntariamente, nos trancamos. Agradeço, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir