Com amor, todo sonho é possível

Tudo se repete - 23





14/01/80
Hoje passei o dia todo apreensiva, uma sensação estranha no ar. Logo cedo o caso das férias.
Quando ele me ligou queria lhe dizer que já era, que fosse embora, não tenho mais saco para aguentar esse moleque. Mas ao mesmo tempo, me sinto devedora dos crimes que cometi e ele não larga do meu pé. Gostaria de começar a por em pratica minhas ideias, a curtir mais meu tempo, com ele perto fico distante de meus filhos, fala que os mimo demais, que eles são homens e vão virar mariquinhas. Está sendo difícil atendê-lo, requer muito mais atenção que uma criança e me desgasta muito.
Eu vejo, a todo momento, como os homens são egoístas, mesquinhos e irresponsáveis. Não não quero mais me casar, para logo em seguida haver a separação, que será inevitável. Devo cozinhar em banho maria, para dar um tempo das coisas se definirem e acertar o registro do meu filho.
Preciso ter tato.

18/01/80
Fomos levar as compras nesta noite.
Fui agredida de todos as formas, que ele só tinha um filho pra sustentar, como se ele colaborasse em minha casa, se nunca se preocupou com a alimentação ou qualquer outra coisa que o filho precisa. Sempre foi omisso.
É um rosário de coisas, nota-se o egoísmo, o animalismo e por tudo isso começo a ficar em dúvida com relação a ele e a todos, dá a impressão que o interesse impera.

21/01/80
Sua mãe apareceu para pegar a conta de luz, iria trabalhar para pagar.
Houve uma troca de palavras, ela desconversou e saiu pela tangente.
Todo mundo é tão bonzinho na frente, por trás é que se conhece quem são.
Se eu ganho, se recebo pensão, só interessa a meus filhos e a mim, agora só me falta esta, ter  que prestar contas de meus atos e, dar aos outros, o que nem sequer meus filhos possuem.
Se compro carro, não devia.
Tenho receio de me abrir, tenho medo da decepção, não posso gozar o hoje, pela incerteza do amanhã. Tenho que fazer muito, por tão pouco.
Se pudesse adivinhar o futuro, seria capaz de trocar tudo, por um homem que ficasse comigo até o fim, que me amasse pra valer, que não quisesse apenas me usar para o sexo, como estou sendo usada, que não me enchesse com tanto futebol, tudo está me cansando, estou com vontade de sair, de procurar carinho e compreensão de alguém especial.
Me dá uma tristeza, uma vontade de chorar, queria tanto ter meu tempo para fazer as coisas em minha casa, brincar com meus filhos, costurar, ler, escrever, fazer cursos, arrumar livros, tudo que eu tanto gosto. 

Coloquei a administração da casa na mão dele, para ver se fica responsável, não tem jeito, são gastos e mais gastos, telhado, fundo, muro lateral, a frente, os portões, tudo imprescindível, com despesas adicionais dele (curso, vestibulares + família), que não contava, não colabora com nada, pra ele tudo é festa, na hora de pagar, sobra pra mim.

0 comentários:

Postar um comentário