Com amor, todo sonho é possível

Tudo se repete - 24

"Quem não luta pelos seus direitos, não é digno deles."
Rui Barbosa

"Este é o meu momento, 
estou me desnudando do que era,
para assumir o que sou,
sem culpas, sem medos."
Maria Teresa



Tudo na vida se repete,
não adianta fugir.
Minha mãe apanhava muito, 
desde gestante de mim.
Quando veio pra cá,
depois de 3 anos que meu pai já estava aqui,
tornou-se a empregada do senhor,
que manteve os hábitos já adquiridos.
Toda tarde, se arrumava muito bem e ia pra cidade.

O empregado, casado e com muitos filhos,
deixados no local de origem,
nada bobo,
viu uma chance de seduzir a patroa,
pensando em se dar bem.
Mas, ela arrependida, contou ao marido.
Que mandou o empregado embora e
deu-lhe uma surra, rachando-lhe a cabeça.

Por ter sido preterido e 
para fazer picuinha à  patroa,
voltou ao local,
para festejar o noivado com outra moça,
levando os parentes dela.
Petulante e insistente
não aceitou sair,
quando lhe pediram 
que fosse embora.
O pior aconteceu.

Aquela mulher alegre,
entristeceu, se calou,
nunca mais ouvi a sua voz, 
a não ser para pedir ao marido
parar de bater ou,
para me mandar 
para junto dele,
por medo de mais apanhar.
Passou por tantas humilhações,
que não dá pra se contar,
sem nunca reclamar e,
eu a presenciar.

Como podia viver assim,
com o homem que acreditou
ser seu amor e só a maltratou?
Não queria mais viver,
depois de várias tentativas,
para do mundo fugir,
com 28 anos,
foi embora para sempre.
Nunca mais a vi,
nunca mais cantou pra mim,
Nunca mais toquei sua cabeça,
já repleta de fios brancos, 
que eu adorava.
Vivi, por algum tempo,
com esperança que voltasse,
nunca mais voltou pra mim.
Tudo na vida se repete,
mas,
só se você permitir.

Obrigada por ser minha mãe, você foi meu maior exemplo, para que eu lutasse pela vida.
Quero que saiba que perdoei por ti, todos os males que ele lhe fez, quando ao final da vida, 50 anos depois de ti, me pediu perdão, dizendo que era culpado por tudo que lhe aconteceu.
Mãe, nunca lhe culpei, você é a doçura que existe em mim, agradeço por ser minha mãe. 
Peço  a Deus, que você e meu pai, descansem em paz.

Quero agradecer a todos que me acompanham no blog e nas redes sociais. 
A minha intenção ao fazer o blog, sempre foi passar o amor e a alegria, que eu acredito sejam a mola propulsora da vida. Inicialmente, era para postar artesanato, a doce terapia, que me permitiu sair do estado de letargia, em que me vi, depois de uma série de decepções vividas por mim. 
Por tudo que presenciei na minha infância, jurei a mim mesma, não repetir nada daquilo.
Mas, infelizmente, pude constatar, que caímos em armadilhas, criadas por nós mesmas, que nos acorrentam e, nos mantém no lodo das culpas e dos medos, tolhendo nossa vida, inibindo nossa saída da tormenta. Parece que tínhamos um imã, por sermos francas, transparentes e nos doarmos demais, que atraiu sujeito sem caráter, com a única intenção de se aproveitar da nossa fragilidade: a confiança.
A mulher goza de "pseudo" liberdade, proteção e segurança que, na realidade, nesta sociedade machista, não existe. Criaram Leis e, deram até status para o feminicídio, mas, quem as atende, não tem sensibilidade, ainda as trata com discriminação, desrespeito e descaso, a mulher é um nada na sociedade, a mulher não existe para a Lei que foi criada: "Lei Maria da Penha", porque ela está sendo burlada por pessoas astutas.
Gostaria, imensamente, de viver a minha vida, mas não é possível, sabendo que tantas mulheres, ainda se encontram presas pelo medo e pela vergonha de denunciar, pretendo mostrar que a única forma de sobreviver, às ameaças que recebem, do agressor que as prende, é denunciando.
Não acredite em palavras, não acredite em promessas de mudança, homem que ama não maltrata, não explora, não tortura, não estupra e, não mata, só o covarde faz ameaças, só o salafrário te humilha e te chama de fracassada.
Você será, sim, uma fracassada, se continuar omissa, se continuar aceitando o que ele está te impondo, se permitir que ele se fortaleça com o teu medo e, só Deus sabe, o que ele poderá fazer com você, portanto:

Reaja, 
não se cale, 
diga não ao machismo, 
denuncie, 
valorize a sua vida, 
acredite, 
você é especial!!!
Abraços carinhosos

2 comentários:

  1. Certíssima! A impunidade continua apenas enquanto quem apanha nada faz, não denuncia, não reage...

    ResponderExcluir
  2. É impossível ficar calada diante de tantas injustiças, só passando na pele, para entender o silêncio.
    A impunidade machista tem que ser quebrada, para livrar as mulheres, tão covardemente, agredidas, das garras dos seus próprios medos e, assim denunciar seus malfeitores.
    É preciso acolher e não condenar a mulher, é preciso que Justiça seja feita àquele que a maltrata, estupra ou mata. Hoje, para não ser torturada ou morrer, quem foge de casa é a mulher, o seu agressor fica solto, nada fazem com ele, tem a chance de formar quadrilha
    e exterminar com a mulher. Na violência doméstica a única culpada é a mulher,
    só ela arca com todas as consequências.
    Agradeço seu carinho Ana, abraços afetuosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir