Com amor, todo sonho é possível

Persistir é vencer




"Persistir é vencer."
(anônimo)

Se você
é daquelas pessoas que
 diante do primeiro obstáculo
retrocedem,
sinto dizer,
mas está agindo
erradamente.

Se você
realmente
quer alguma coisa,
lute,
tente quantas vezes
forem necessárias.

Se não deu certo
a primeira vez,
tente outra.

Não deu certo
a segunda vez?

Mude de tática!

Persistir
é a palavra-chave
da conquista!

Texto extraído daqui: 134




Abraços carinhosos

6 comentários:

  1. Por mais longo e duro que pareça o caminho, não podemos desistir. Temos que persistir.

    Beijinhos*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Andreia, escolhido o caminho, temos de ir em frente!
      Obrigada, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  2. Lindo domingo!!!!!!!!!!!!! Bjkssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Gigi, pra você também, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  3. MARIA TERESA VALENTE,

    sempre que venho aqui e o faço com bastante frequência,tal qual você me honra com suas visitas e comentários sempre muito apurados,fico impactado com esta foto monumentalíssima e que não precisaria ter nada escrito nela,pois, esteticamente é perfeita e trás uma mensagem de ética relacional maravilhosa.

    Nunca consegui entender como pode uma mulher ser agredida,degradada,humilhada,destroçada em seus mais perenes valores existenciais.

    Nunca consegui entender, como pode um ser ,silenciar ou não denunciar mediante uma agressão covarde.

    Nunca consegui entender como um homem pode chegar a este ponto de maior demostração e insanidade,brutalidade e animalesca, fazendo da mulher uma vitima indefesa,física e psicologicamente.

    Neste caso - e infelizmente - uma imensa parcela de mulheres persistem, numa situação na qual persistir é perder, a cada novo dia de um indesejável silencio.

    Um excelente fim de semana Maria Teresa.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulo, agradeço por seu carinho.
      Infelizmente, não sou poeta, para florir ou glamorizar uma situação real!
      Comecei a escrever como forma de apelo, para o que estava vivendo, depois de adoecer, me agredir, me culpar e, mesmo depois de denunciar e nada adiantar, percebi que a única forma de me salvar, era me desnudar, tentando impactar para me salvar, pelo menos ainda estou viva.
      Sempre lutei pelo que acreditava, mas quando comecei a me culpar por todas as mazelas da vida, achando que merecia aquela vida, perdi as forças, me entreguei, por quase 40 anos.
      Hoje, luto para que as mulheres não se entreguem, não desistam de suas vidas e denunciem as agressões morais, psicológicas e físicas, ninguém merece esse sofrimento. Em contrapartida, é necessário que se capacite pessoas para o atendimento às vítimas de agressões domésticas, que ainda são discriminadas e hostilizadas, quando fazem as denúncias.
      O sentimento de culpa pela má escolha e a vergonha é o que nos mantém presas a esse círculo vicioso de dor e, ainda somos tratadas como desavergonhadas!!!
      Ninguém ama a quem lhe maltrata, mas a mulher não encontra apoio na Lei, quando quer se separar/divorciar da pessoa que a prende por interesse.
      Senti na pele o sofrimento e o medo de minha mãe, sessenta e poucos anos se passaram e nada mudou, embora com muitas Leis nos "protegendo".
      Acredito, que esses crimes devem ser punidos, acabando com a impunidade aos agressores; quando houver a efetiva aplicação dos rigores da "Lei Maria da Penha", as mulheres acreditarão que há Justiça e, começarão a denunciar seus torturadores.
      Enquanto assistirmos à luta extenuante, daquelas que se expõem, arriscando suas vidas, denunciando as agressões sofridas, sem nada ser, efetivamente, corrigido, muito pelo contrário, são massacradas e discriminadas, não acreditaremos que conosco farão diferente.
      É preciso haver coerência entre a Lei e a prática real dessa Lei.
      É preciso praticar Justiça com o nosso próximo, mesmo que seja uma mulher!
      O silêncio é nossa "maior" defesa, diante das ameaças sofridas!
      Poucas se conscientizam que a exposição, embora vergonhosa, torna-se nosso melhor aliado, ninguém poderá alegar "que não sabia".
      Obrigada Paulo, abraços carinhosos
      Maria Teresa


      Excluir