Com amor, todo sonho é possível

O amor por si mesmo!




O AMOR POR SI MESMO!

"Ama o teu próximo como a ti mesmo."
Mateus 22:39

Pierre tenta ser um exemplo positivo para seus alunos. "As crianças hoje em dia precisam admirar alguém e eu levo a minha função de professor muito a sério neste sentido", declarou ele, orgulhoso.

Eu admirava Pierre por dedicar a vida a ajudar crianças e o admirei ainda mais por ele ter vindo fazer terapia quando essa dedicação começou a deixá-lo exausto.

"Eu sei que o meu trabalho com as crianças é realmente importante. Só preciso de alguma ajuda para recuperar o entusiasmo. O pensamento negativo nos bloqueia", disse-me ele depois de um seminário de aperfeiçoamento pessoal do qual participara. "Só preciso imaginar que estou mais feliz para que isso se torne realidade. Nós somos aquilo que acreditamos."

Achei que Pierre estava negando alguma coisa importante. Era como se o amor por si mesmo dependesse apenas de como se sentia a seu próprio respeito, independente de outras pessoas.

Ao falar sobre sua infância, Pierre comentou: "Preciso apagar essas lembranças sobre os meus pais. 

Tudo isso está no passado. Preciso amar a mim mesmo e não depender tanto do amor de outras pessoas."

Os pais de Pierre o haviam negligenciado quando criança, de modo que ele aprendera cedo na vida a não esperar que outra pessoa lhe desse o que precisava. A verdade era que Pierre não se sentia amado e queria distanciar-se desses sentimentos. Fazer coisas positivas e conversar consigo mesmo de maneira otimista eram os recursos que usava para superar os sentimentos dolorosos.

Infelizmente, a estratégia de Pierre não estava funcionando tão bem quanto ele desejaria. Como seus pais o tinham depreciado muito, ele lutava para evitar os sentimentos resultantes de auto condenação. 

Suas tentativas de amar a si mesmo visavam acalmar as vozes interiores de insegurança e desprezo. O problema de Pierre não era a falta de amor por si mesmo, mas a rejeição por si mesmo. Seus esforços eram tentativas de encobrir a rejeição.

Ocaso 23/2 19:13

No decorrer de nossa terapia, Pierre parou de tentar me convencer de que o amor por si mesmo é apenas uma atitude mental que se pode aprender repetindo frases poderosas. Em vez disso, passamos a conversas mais sobre o que ele não gosta nele mesmo. À medida que Pierre compartilha comigo o que realmente sente com relação a si, ele descobre que já não tem que encobrir tantas coisas quanto antes. Embora seus pais tenham lhe transmitido o sentimento de ser inútil, a experiência de ter alguém que o escute nos seus piores momentos está lhe dando a sensação de que talvez haja alguma coisa boa nele. Pierre aprendeu com os pais que, quando nos desprezamos, prejudicamos nosso relacionamento com os outros. Na terapia, descobriu como é amar a si mesmo.

Hoje, Pierre está mais feliz no seu papel de professor. Ele deixou de tentar convencer as crianças de que elas precisam amar a si mesmas para vencer na vida. Agora ele simplesmente as ama. Pierre aprendeu que esta é a coisa mais poderosa que ele pode fazer tanto pelos outros quanto por si mesmo.

Jesus deixou muito claro que a sua definição do amor por si mesmo não significava egocentrismo. 

Para ele, o amor por si mesmo estava intimamente ligado ao amor pelos outros, assim como  o ódio por si mesmo estava intimamente ligado ao abuso dos outros. Quando disse: "Ama o teu próximo como a ti mesmo", Jesus estava explicando que só pode amar os outros quem se ama. O amor a si mesmo não pode estar separado do amor aos outros; um depende do outro.

O amor se multiplica quando é distribuído, assim como o ódio destrói enquanto permitimos que ele exista.

PRINCÍPIO ESPIRITUAL: O amor por si mesmo e o amor aos outros -
um não pode ser praticado sem o outro.

Texto extraído daqui:

Só quando conheci Jesus Cristo e
me entreguei a Ele,
pude perceber  o quanto estava errada,
aceitando todas as acusações que me faziam,
me castigando,
me anulando como pessoa,
fugindo como uma tola,
por não conseguir reagir e
nem me livrar dos meus algozes!

A minha maior fraqueza,
sempre foram os meus filhos,
daria a minha vida,
se preciso fosse, 
por eles!

A minha maior decepção foram eles!
Quis fugir da vida!

Nesse momento,
Deus infinitamente misericordioso,
colocou em meu caminho
uma pessoa extremamente profissional,
a psicóloga Fátima, do Posto de Saúde daqui,
que percebendo a fragilidade da situação,
em que me encontrava,
me orientou e me conduziu:
1º) para a avaliação de profissionais da psiquiatria,
já que eu acreditava mesmo que estava louca,
depois de ficar na mão de um crápula,
por mais de 30 anos ouvindo que era louca em delírios.

Como pode uma pessoa ficar presa a um indivíduo
que a humilha, explora, maltrata, violenta, ameaça matar e
ainda alicia os filhos nos seus planos?

Nas sessões de terapia,
sempre me incentivou a priorizar a fé e
a mudar o meu foco,
não priorizando os filhos,
mas elevando a minha auto estima!
Assim, consegui me fortalecer na fé e 
me libertar do mal que me consumia!
Gratidão!

"Em nome do Senhor Jesus"

Agradeço a Deus por mais um dia que me permite viver!

Deus seja eternamente louvado!
A Deus toda Honra e toda Glória!

Ocaso 23/2 19:42

Abraços carinhosos

11 comentários:

  1. Linda a história do Pierre. Temos mesmo que nos amar para poder saber amar os outros. Não deixar que os sentimentos de insegurança da infância nos leve a ser pessoas que não conseguem se amar. Um aprendizado logo e duro. Sei bem o que é isso. Ainda luto para me amar mais!
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço, Adriana!
      Sim, dependendo de como fomos criados, nosso aprendizado será longo e duro!
      Uma terapia, bem conduzida, poderá ajudar muito, como no caso do Pierre.
      Mas percebi, que só aprendemos quando temos um modelo de amor, que só encontramos ao conhecer Jesus!
      Feliz quinta-feira, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  2. Fiquei com pena do Pierre. Que bom que ele encontrou seu modo de amar. Pensava sobre os professores nas minhas divagações. Hoje em dia eles estão tão preocupados por sua desvalorização e seus baixos salários que se esquecem da magia de ensinar. Se fossem reconhecidos pela importância de seu trabalho teríamos uma classe de ouro.
    Bjos tenha um ótimo dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, Anajá!
      Conheço alguns professores comprometidos com o ensino e com os alunos.
      Quando fiz Magistério, há muito tempo atrás, os professores também não eram bem remunerados, mas eram tratados com muito respeito!
      O que está muito ruim, agora, é que além de não serem bem remunerados, ainda têm de enfrentar a má educação e o desrespeito, por parte dos alunos e pais.
      A isso se junta, que o governo não está preocupado com a educação do povo e abandonou por completo os professores, sem infra estrutura e salários adequados não podem trabalhar.
      O nosso país está à deriva, enquanto não priorizarem a educação, não há como salvar nossa Nação!
      Agradeço, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  3. Gostei muito de ler!

    r: Sem dúvida :)
    Obrigada! Beijinhos*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço seu carinho, Andreia!
      Abraços carinhosos
      Maria teresa

      Excluir
  4. Respostas
    1. Amém!
      Obrigada, feliz domingo!
      Abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  5. Olá, querida Teresinha!

    Gostei mto do texto sobre o amor: amor a nós mesmos e aos outros, pke um não se concebe sem o outro.
    Graças a Deus k o Professor Pierre encontrou a estrada larga, aquela que conduz à felicidade.

    Os traumas de infância têm mta importante nos comportamentos futuros. Você sabe como foi a infância e até adolescência do pilantra, como você lhe chama, e mto bem, k arruinou sua vida durante 30 anos?

    Deus é o caminho, a vida e a luz. Você já a encontrou.

    Se o amanhecer é a parte mais importante do dia, por que sempre fotografa ocasos? Vamos lá fotografar amanheceres, também, querida!

    Beijos e abraços, carinhosamente.

    PS: novo post lá aguardando você. Gracias, mi querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, CÉU!
      Acredito que a estrada que nos conduz à felicidade se estreita cada vez mais, acho que para sermos felizes, precisamos nos policiar e nos livrar de todos os males que nos atormentam.
      Pobreza não é trauma pra ninguém, agora usar da desculpa da pobreza, para se aproveitar dos outros não é trauma, é perversidade, é malignidade, é coisa de pilantra.
      Quem tem trauma, faz de tudo para melhorar, para se curar!
      Agora, quem não tem caráter, usa tudo para se desculpar!
      Estou feliz, estou em paz, se estou no caminho, só o tempo dirá!
      CÉU, já te disse que moro em morro e tenho vista só do anoitecer, que por sinal é maravilhoso, como está sendo minha vida, no momento que caminho para o meu desenlace.
      Já a visitei e me encantei, como sempre, parabéns!
      Agradeço seu carinho, abraços afetuosos
      Maria Teresa

      Excluir
    2. Olá, Linda Teresinha!

      Exatamente assim!
      Pobreza não é, nem pode ser trauma, mas pobreza de espírito, ruindade, ah, isso é veneno.

      O importante é você se sentir bem e continuar feliz. Há um provérbio árabe que diz, mais ou menos, isso: tantos são os caminhos que nos conduzem a Deus, quanto o número de pessoas que existem nundo. Então? É fácil, concluo!

      Ainda diz que é distraída! Mas, que tem boa memória, ah, isso tem, aliás, pelos seus relatos em seu blog, podemos observar essa sua qualidade. Eu, também sou muitooooooooooo observadora e atenta às atitudes e às palavras das pessoas, mas por vezes, não faço associações imediatas.

      Já me disse, sim, pelo menos umas 3/4 vezes k mora no morro, mas sabe que para uma portuguesa, e embora ela saiba o significado do vocábulo, ela não consegue estabelecer, de imediato, a ligação do lugar com a falta de sol, daí você fazer foto sempre aos ocasos. Já tinha entendido isso, mas esquecido, também. Não irei repetir o erro. As minhas desculpas, querida amiga!

      Mto agradeço sua visita e gentil comentário.

      Beijos e bom fim de semana.

      Excluir