Com amor, todo sonho é possível

Presente de Deus!


Ocaso em 21/04 - às 19:02 horas.

Fornada do dia 21/04: bolo de milho; 

3 assadeiras de pão, faço a receita inteira e
congelo para consumir aos poucos.

Estava com vontade de comer uma farofinha,
tinha carne seca desfiada...

Talvez as pessoas não percebam, 
mas sou extremamente tímida,
gosto de entrar e sair sem ser notada.
Nunca gostei de pedir nada a ninguém e,
sou atrapalhada para receber também...

Lutei muito para chegar onde cheguei e
agradeço muito a Deus, pelos chefes que tive,
que me promoveram, pelo mérito.
Não percebia diferença no tratamento, 
pelo fato de ser mulher.

Assim me fiz, achando 
que seria muito capaz de gerir minha vida.
Quando fui presa na arapuca,
acreditando que daria conta da situação,
que pretensão!

Precisei ir ao fundo do poço,
presa ao lodo, por muitos anos,
para sentir que nada sou,
nada posso,
se não for da Vontade de Deus!

Para sentir que servir a Deus,
é se libertar das dores do mundo,
para usufruir da paz tão almejada!
Para perceber que tudo me é permitido,
mas nem tudo me é lícito.

Agradeço a Deus,
que me permitiu construir esta casa,
local desejado há 35 anos atrás.

Agradeço a Deus,
que depois de fugir daqui, por 2 vezes,
Ele me disse: "Não desista!" "Confia!"

Agradeço a Deus,
pelo grande presente de hoje:
"Toda Honra e toda Gloria a Deus!" 

Minha casa, foto tirada do portão às 16:29 horas,
após Deus ter preparado a limpeza do terreno!
É um espaço com 27 x 110 metros, lindo, face norte!
 

Do portão, olhando para o canto esquerdo...

Do portão, olhando para o canto direito, 
parte baixa do terreno, estão Ipês, branco,
amarelos, rosas e roxo; Pau-Brasil; Murtinha;
Coqueiros; Goiabeiras; Mangueiras; Araçás pequenos;
Grumixamas; Limoeiros; 
falsa Jabuticaba; Cerejas do mato, 
Abacateiro e mais para o fundo,
do mesmo lado, Bananeiras.

Esta é a lateral direita que leva ao fundo;

Desta varanda, fotografo os mais lindos ocasos...

No fundo do terreno, no ponto mais alto, fica a caixa d'água,
que abastece a casa, por gravidade...
Avistamos longe, é maravilhoso olhar de lá!
A construção em cerâmica era oficina para as artes,
tendo um galinheiro no seu fundo

Foto tirada no portão, é descida para o caminho alternativo;

Tudo limpinho, pensei que 
houvesse errado de endereço, quando cheguei!
A rua oficial segue reto e o caminho é à direita! 

Um caminho que era cheio de Manacás e 
outras espécies que desconheço o nome,
caminho que virou estrada,
onde estão jogando tanto lixo... 

São montes e mais montes de lixo...

Termina na avenida oficial... 

Esta é a avenida, cheia de lixo, também...
Indo à direita chego ao centro e
à esquerda desço para a Igreja!

Agradeço a Deus,
que por sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!

Deus, de Infinita Misericórdia,
agradeço por me permitir viver mais um dia!

Abraços carinhosos

10 comentários:

  1. Olá amiga,quanta inspiração culinária...O bolo parece bem fofinho e apetitoso!
    Sua casa e o lugar onde mora é lindo, pena as pessoas sujarem tanto a natureza assim... Falta consciência... Tenha um lindo domingo. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. É de milho Analaice, bem fofinho mesmo, gosto muito é nutritivo!
    Verdade, ninguém se importa com o próximo, se livram do lixo, jogando no quintal do outro, é triste!
    Agradeço, feliz domingo, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  3. Bonitas imagens. A natureza é linda.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Isa!
      A natureza além de ser linda, nos revigora!
      Excelente semana, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  4. Respostas
    1. Obrigada, Gigi!
      Feliz semana, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  5. Que beleza de lugar e de resenha. Lugar que inspira a alma a combater o lixo humano esparramado pelo caminho. Alguns acham que sou demasiadamente Melancólica por amar tanto a natureza, por gostar de estar só com ela e poucas pessoas. Se é melancolia eu não sei. Mas, só sei que é de extrema beleza interna e de um romantismo ao entardecer que não se podem negar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão, Marilene!
      Interessante você falar em melancolia, em terapia ouvi que os portugueses já nascem com melancolia que vem de gerações, em virtude da falta de empregos, os homens partiam para outros continentes, para ganhar dinheiro e deixavam as mulheres com filhos pequenos e corações chorando.
      Sempre fui alegre, eu queria entender porque estava tão triste, sou portuguesa, mas não era o meu caso, experimentei a tristeza acompanhada!
      Mais recentemente, veio uma pessoa em casa e me perguntou se eu não sentia tédio em morar aqui, respondi-lhe que não, porque nunca tive tédio, mesmo morando aqui!
      Amar a natureza não é melancolia e viver no meio do mato, não dá tédio!
      Todos me falam que é loucura morar aqui, mas não tenho luxo, não gosto de agito, é no mato que me sinto bem, embora reconheça que é difícil e para se viver afastado, numa chácara, é preciso ter dinheiro para a manutenção.
      E, te afirmo, que o bem que me faz, compensa todo e qualquer sacrifício!
      Acredito, também, Marilene, que Deus me abençoou neste lugar!
      Você tem é muito bom gosto, como eu!!!
      Abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  6. Olá Maria Teresa
    A essa hora da manhã eu vendo esse bolo, só deu água na boca!
    Que lugar lindo, mas, como que pode existir pessoas que conseguem jogar lixo sem peso algum na consciência por isto! Não consigo entender, apenas, ficar triste por esta realidade!
    E que sorte que essa natureza te tem por perto para cuidá-la!

    Abraços

    Alana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão, Alana!
      Pode chegar, Alana, vou fazer um cafezinho!
      Sim, é o que me pergunto todos os dias, quando tenho lixo, separo em sacos e levo para a baixada onde tem caçamba, todos me vêm descendo para deixar no local adequado. Se eu desço à pé, carregando o lixo, como podem vir de carro e jogar ali, sem o menor cuidado ou respeito.
      De nada adianta, por mais que a gente reclame, ninguém faz nada!
      Obrigada, Alana, feliz semana, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir