Com amor, todo sonho é possível

"NOJO"

 Nada a comentar sobre este texto de Fabrício Carpinejar, é preciso ler:


Tenho nojo de ser homem, tenho medo de ser pai. A adolescente de 16 anos vítima de estupro de 33 homens no Rio de Janeiro não me permite mais dormir, muito menos acordar. Fico como um zumbi sem vontade de sair para a rua, de falar com a família, de conversar com os amigos. A vida me roubou o respeito para sorrir. Meu sorriso morreu. Meu sorriso não tem mais graça. Pois uma criança dentro de uma mulher não terá mais infância para sorrir. Nem maturidade para chorar.

É a impunidade gloriosa: dopam e estupram, estupram e se revezam, e ainda mostram o objeto do estupro como um troféu na web e ninguém é preso imediatamente. Os agressores zombam, debocham, escarnecem sobre a fragilidade da vítima. Culpam a vítima por ser distraída e crédula. Culpam a vítima por ser mulher. A truculência vem sendo única razão nesta terra sem leis e sem prisão.

Não dá para ser mulher no país. Não dá para ser decente no país. Não dá para ter alma neste país. Ela se tornou um lixo, uma boneca com a sexualidade esfaqueada centenas de vezes, uma presa da mais insana misoginia. Que covardia pode ser maior que esta? Era menor, era indefesa, foi drogada, foi encurralada, não tinha como escolher, não tinha como se defender, não tinha como gritar, não sabia onde estava.

Por mais que tome banho, não se lava a memória. Poderia ser a minha filha. Poderia ser minha mulher.

É um ex-namorado que leva a uma emboscada, é um bando de animais brincando com armas, rindo de matar, rindo de ferir, rindo de abusar, rindo de destruir alguém. A brutalidade ri dos inocentes, o machismo ri dos direitos humanos. Enquanto a gargalhada da violência for maior que o gemido, for maior que a nossa dor, for maior que o nosso não, for maior que o nosso pedido de socorro, não me chamem mais de brasileiro. Deixou de ser uma nacionalidade, é uma acusação.

14 comentários:

  1. Estamos vivendo num pais que os conceitos, a ordem e tudo mais, desapareceram, mas quando se deu isso? Faz já algum tempo, porém agora vindo a tona todas essas mazelas
    Temos que frear, temos que gritar que não queremos isso, para por fim, voltar a poder andar nas ruas sem a preocupação de sermos violentados em vários níveis

    Beijos
    Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Rafael, gratidão!
      Tem razão, Rafael, estamos sendo agredidos com o descaso, em todos os sentidos.
      Feliz mês de junho, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  2. Boa noite Maria Teresa,
    Me emocionei demais com este texto.
    Um acto ignóbil e do qual Fabrício falou com alma e coração deste triste e abominável facto que anda mexendo com o coração de todos nós.
    Um beijinho e boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Ailime, gratidão!
      Fabrício expressou bem o estado de nossos corações: chocados!
      Feliz mês de junho, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  3. Divido dos mesmos sentimentos querida! Tenha um lindo dia,beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Patrícia, gratidão!
      Feliz mês de junho, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  4. Muito nojo mesmo! Belo texto apesar da realidade tão feia!!

    Beijinhos,
    Blog: DMulheres
    Instagram : @dmulheres

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Sheila, gratidão!
      A consternação de todos nós, que o Fabrício soube expressar tão bem!
      Feliz mês de junho, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  5. Bom dia Teresa. O que aconteceu, aconteceu porque se tem a certeza da impunidade, porque aqui nesse país chamado Brasil, as pessoas todos os dias, aprendem a não ter alma, não ter coração,não ter Deus em sua vida... Que pra tudo se acha "um jeitinho"... INFELIZMENTE ESSA É NOSSA REALIDADE. Um xeru!

    Sandra
    http://pedacinhobysandra.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Sandra, gratidão!
      Tem toda a razão, é a certeza da impunidade, que está tornando as pessoas cada vez mais agressivas, afrontando cada vez mais as autoridades.
      Feliz mês de junho, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  6. Maria teresa, a bestialidade continua enquanto não se aplicar a justiça, sem distinção raças, cores, povos, credos, idade, classe social... Isto precisa acontecer. Que Deus nos dê este grande livramento. Que livre nossas filhas e também filhos, descendentes. Ainda estão culpando a jovem adolescente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Marilene, gratidão!
      Esse é meu maior medo, se não houver uma punição com os rigores da Lei, estaremos incitando a disseminação do mal.
      Dias felizes, abraços carinhosos
      Maria Teresa

      Excluir
  7. Acho que o autor expressou bem a revolta que nos toma, não é mesmo?
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Jussara, Fabrício Carpinejar, sempre se expressa com muita sensibilidade!
      Através dele, sentimos o quanto as pessoas estão incomodadas com a permissividade da Justiça.
      Abraços carinhosos

      Excluir