Com amor, todo sonho é possível

Respeite...

Respeite!
Se existe algo que não se aceita,
de forma alguma, são as pessoas,
que se achando muito espertas,
 se apropriam de obras/textos,
elaborados por outras pessoas e
divulgam sem mencionar a autoria.

Apoio, incondicionalmente e,
divulgo aqui, o desabafo da Mônica:

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Texto é produção visceral. Dá trabalho. Respeite

Um texto é meio filho. Se fez em você. Saiu de você. É seu. Ponto.
Não tem essa de nada é meu! É meu, sim. Fui eu que fiz. Posso morrer e deixar tudo aí. A qualquer momento. E ele sempre será meu.

Gostou? Aproveite. Fico feliz. Ninguém escreve para o próprio umbigo. A gente escreve para ser lido. E um texto que agrada é uma felicidade maior que brigadeiro de panela.

Quem não escreve pode não entender a importância do nome do autor ali. Acha que a falta do nome não faz mal. E coloca sem nome, não por maldade. Apenas por não entender como importante. Não alcança a intensidade da coisa. Só que é.


Texto é produção visceral. Dá trabalho. É um investimento de tempo, energia, respeito ao outro. Coloque o nome do autor. 

Respeite.  

                  Mônica Raouf El Bayeh
 
Abraços carinhosos

0 comentários:

Postar um comentário