Com amor, todo sonho é possível

O amor é distraído


O amor é distraído


Você, assim como eu, deve ter um dia gritado pelo amor. A gente acha que o amor vem quando a gente chama. Que ele é destemido e capaz de quebrar muralhas e escalar altos montes. O amor, falo aqui do amor entre dois apaixonados, não é nada disso. O amor é tímido. Ele só vem quando a gente esquece de chamar. Ele só chega perto quando a gente desiste de olhar. Ele só aceita ser acariciado quando se acostuma com nosso cheiro e jeito de ser.
O amor me lembra um filhotinho de servo arisco. Um pequeno gato selvagem. Uma ave bela e misteriosa que foge ao notar movimentos bruscos. O amor sabe que tem muita gente que o quer pra si, aprisionado, em cativeiro. Que o quer cantando em lamento para dizer: eu tenho um amor. Olha, ele é só meu.
Eu no fundo entendo essa fixação nossa pelo amor romântico. Ele é bonito demais. Ele é mágico. Todos que são tocados por ele ganham novo viço. Têm pele, olhos e ideias brilhando e fervilhando. O coração ao toque do amor parece regenerado e o corpo grita: estou vivo! Daí, a gente, num impulso, age com voracidade e sem querer faz o amor correr pra longe, assustado.
O amor já entendeu que as coisas não funcionam assim. O amor entendeu o que ainda não entendemos. O amor entendeu que o lugar dele não é em grandes festas, eventos, encontros, mas sim em dias comuns nos quais todos nossos sentidos se apuram para receber, por descuido, o toque mágico do que é indescritível. O amor é distraído.
Acompanhe a autora no Facebook pela sua comunidade Vanelli Doratioto – Alcova Moderna.
A imagem pode conter: texto


Bom dia, amores 

Gratidão, Vanelli Doratioto!

Agradeço a Deus, pela minha Vida, 
que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

0 comentários:

Postar um comentário