Com amor, todo sonho é possível

A inveja é uma m...


A inveja não diz respeito ao outro, mas diz respeito a si mesmo. Quem inveja é um insatisfeito crônico com o que tem e com o que é. Não está realizado com as suas conquistas, com sua inteligência, com sua personalidade, com o seu corpo ou com suas escolhas de vida.
A inveja é a doença existencial que fez de Lúcifer, Satanás. Que fez Adão e Eva perderem o paraíso. Que quase matou José, mas o empurrou ao Egito e a inveja matou Jesus. Sim, o apóstolo Marcos afirma em seu evangelho que foi a inveja dos religiosos de sua época a razão de sua morte.
Inveja mata!
Admirar pessoas bem sucedidas não é um problema, até desejar ser elas não é problema. Não querer que elas sejam o que são… Grande problema.
O invejoso olha o outro e se ressente de não ser ou de não ter o que ou outro tem ou é, assim, o invejoso é   insatisfeito e não realizado. Falta gratidão! O invejoso não gosta de ser quem é. Não existe pessoa perfeita, um ser completo. Portanto, todos já sentimos inveja um dia, em algum grau, de alguém ou de algo, mesmo que tenha sido pouco ou breve.
O que não podemos fazer é alimentar este sentimento nefasto.
Como disse Lutero: “Não posso evitar que um pássaro pouse em minha cabeça, mas posso evitar que ele faça um ninho.”
Quando deixamos a inveja aninhar-se em nós, deixamos de desejar o que é do outro para desejarmos que o outro não mais tenha. Isto mesmo. A inveja em níveis elevados torna-se tão doentia que o invejoso fica incomodado com o que ele não tem ou não é, e passa a desejar que o outro perca ou deixe de ser. O outro perder passa a ser o único consolo daquele que não tem.


O mais incrível é que o invejoso causa mais mal a si mesmo do que ao objeto da sua inveja. O invejado continua caminhando em paz com sua vida enquanto o invejoso não mais dorme, não tem paz e trava uma guerra muda que destrói sua própria vida. O Rei Salomão resumiu este conceito dizendo que
“quem tem paz de espírito tem saúde, mas a inveja é como o câncer”.
Isto mesmo, quem está em paz com o que é e com o que tem, está feliz, goza de paz de espírito e numa somatização positiva, caminha cheio de saúde física. Mas quem é insatisfeito e frustrado com suas escolhas, que não se perdoa, que não deseja ser o que é, mas sofre por não ser o que o outro é, perde sua paz, vive amargurado, triste e seu próprio sentimento vai matando a si mesmo pouco a pouco, dia a dia, como o câncer.
Para o invejoso, há uma frase de Jean-Paul Sartre que é perfeita:
“O inferno é outro”.
O invejoso sofre com o sucesso alheio e nesta psicose quer o fim do outro para obter paz. Um sentimento mesquinho, feio, triste. Como afirma a filosofia de buteco: “A inveja é uma m…”
Desejar ser o que ainda não se é ou desejar ter coisas que ainda não conquistamos não é um problema em si. Admirar é saudável. Mas querer roubar o que o outro é, não é possível.
Podemos desejar e buscar nosso crescimento, mas não devemos “culpar” quem é pelo que nós não somos.
__________________
Gratidão, Pastor  Luciano Maia!

Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

0 comentários:

Postar um comentário