Com amor, todo sonho é possível

Ando bem assim. Sem vaidade demasiada.


Ando bem assim. 
Sem vaidade demasiada.
Sem imaginar coisas impossíveis de acontecer. Ando mais concentrada, menos entediada. Ando acordada, porque tropeços ainda que involuntários doem.
Os remendos, aqueles que foram ficando para trás junto com a poeira do tempo, quase os esqueci de vez.
Não estou nova em folha. Ainda calejada com os desaforos da vida, ando assim...Observadora.
Por vezes desatenta. A vida anda caminhando com meu consentimento, sem empecilhos frustrantes.
Tenho ponderado, tenho tido mais cuidado. Às vezes debocho de mim.
Da capacidade de me concentrar, das loucuras que já cometi.
Tenho sentido uma grande evolução dentro do meu estado de espírito.
Essa temporada solitária, trouxe novos rumos dentro de mim..
|Sil Guidorizzi|
A imagem pode conter: 1 pessoa, texto e close-up
Quando uma mulher é vítima de violência doméstica, 
ela carrega muito mais do que o sofrimento físico, 
ela carrega consigo, um sofrimento psicológico
 que lhe impede muitas vezes de prosseguir a vida.
Violência Doméstica

DEFINIÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Qualquer ato, omissão ou conduta que serve 
para infligir dor física, sexual ou mental,
direta ou indiretamente, por meio de enganos,
ameaçascoação ou qualquer outro meio,
a qualquer mulher.
Tem por objetivo e como efeito intimidá-la,
puni-la, humilha-la, ou mantê-la nos papeis
estereotipados ligados ao seu sexo, 
ou recusar-lhe a dignidade humana,
a autonomia sexual,
 a integridade física, mental e moral.
Violençia conjugal 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e close-up
On emploie souvent le terme de "psychopathe" mais sans savoir vraiment ce qu'il veut dire. Pervers narcissiques, psychopathes, psychotiques... Quelles différence et comment les reconnaitre ? Voici les 8 signes révélateurs de cette maladie.

1- Il ne ressent rien pour les autres


Les psychopathes ne ressentent rien pour les autres mais seulement pour eux. Ils ressentent bien biologiquement des émot... Ver mais

Muitas vezes usamos o termo " psicopata mas sem saber o que ele quer dizer. Narcisistas narcisistas, psicopatas, psicóticos... que diferença e como reconhecê-los? Estes são os 8 sinais reveladores desta doença.

1-Ele não sente nada para os outros


Os psicopatas não sentem nada pelos outros, mas apenas por eles. Sentem-se biologicamente emoções, mas psicologicamente, os distúrbios emocionais da sua doença vêm perturbar e alterar o sentido dessas emoções. Não têm sentimentos para com os outros. Qualquer emoção é trazida para eles de qualquer maneira. Os outros são apenas objectos que servem para satisfazer os seus desejos.

Este problema de falta de empatia explica por que não têm moral e, portanto, nenhum limite para fazer mal aos outros fisicamente e moralmente. É por isso que eles são perigosos.



2-Ele nunca confessa sua culpa



Mentiras, manipulações, violência... os psicopatas estão dispostos a tudo para que cada coisa se ajuste aos seus desejos. Qualquer indivíduo, quando não age como o psicopata deseja, lembra-lhe a realidade que ele odeia. Não se trata de negação ou fuga da realidade, um psicopata procura apenas alterá-la para que seja conforme com a ideia que lhe está a ser feita. Se alguém agir de forma diferente, fará tudo para destruí-lo. E se ele está a fazer mal, é porque os outros o procuraram.

Nunca foi culpa deles? Nunca um psicopata confessa a sua culpa. Ele procura encontrar qualquer coisa para se justificar ou tentar manipular o outro para fazê-lo acreditar que a culpa é toda dele. " para satisfazer a sua personalidade narcisista nunca o psicopata deve baixar na estima dos outros. Não há nenhuma preocupação com o destino da vítima, nenhuma expressão de amor e remorso " explica j. Reid Malloy, professor de psiquiátrica na Universidade da Califórnia, no seu livro, os psicopatas.

3-Ele desvaloriza os outros sem parar

O psicopata vive numa realidade que se fabrica. Todos os outros indivíduos externos o tiram desta realidade e lembram-lhe o que ele odeia. Em consequência, tende a rebaixar os outros mais baixos do que a terra continuamente. É uma espécie de exteriorização agressiva para destruir tudo o que lhe possa fazer mal. Uma maneira de atacar os outros para ter a certeza que ele não o magoa um dia. Sendo um ser filmado em si mesmo, o psicopata não vai correr o risco de que algo possa tocar na auto-estima que ele tem dele. Para conseguir o que quer, ele está pronto para tudo. No entanto, é importante não confundir um pervertido narcisista que rebaixa para o seu prazer com um psicopata que sofre de uma doença violenta muito mais perigosa.

4-Nenhuma relação social sustentável

Ao contrário do que se pensa, os psicopatas têm algumas facilidades para estabelecer laços com os outros. Mas estes laços nunca duram. Como uma pausa no meio da doença, os psicopatas precisam dos outros para testar a realidade. O problema é que, devido às suas características narcisistas, zangadas e paranóicas, qualquer pessoa virá um dia ferir a sua susceptibilidade e libertar a sua raiva sem sequer querer. Como um mecanismo de defesa, o doente vai tentar destruir o outro, moralmente ou fisicamente. Aconteça o que acontecer, os psicopatas acabam por ficar isolados.

5-Paranóico, ele se irrita rapidamente

É no seu temperamento que se sente mais o aspecto de um psicopata. Esta particularidade é uma espécie de delírio paranóico, porque quer ser constantemente admirado e invejado. "as pessoas reais são vistas como objetos familiares, mas no entanto malignos que atacam e que merecem a raiva do psicopata" explica j. Reid malloy no seu livro os psicopatas. Um evento benigno, um pequeno insulto ou mesmo um olhar torto pode ser suficiente para devolver ao psicopata a impressão de que não o vemos como ele gostaria. "a experiência consciente de raiva no processo psicopática conduz tipicamente à violência na ausência de estruturação do supereu" acrescenta o autor.

6-o engano contínuo

Uma pessoa com psicopatia tem consciência do mal que está a causar ao outro. Para evitar que os outros façam algo que lhe desagrade ou a angústia, ela usa o engano. Há uma intenção real de manipulação dos outros para o anular de qualquer atributo. Por este meio, o psicopata tem a certeza de dominar e satisfazer a sua personalidade narcisista.

7-a indiferença fria

As pessoas psicopatas não são sensíveis, não se podem "tomar pelos sentimentos". elas controlam sem dor os seus medos e os seus impulsos em público. Tendo frequentemente duas caras, um instintiva e o outro social, o primeiro retoma rapidamente o ascendente sobre o segundo na privacidade. Os seus impulsos podem exprimir-se com eficiência através do poder das palavras (ou linguagem performatif), que se tornam tão destrutivos como a violência física, ou mesmo mais. Seu olhar permanece frio e intenso ao mesmo tempo, acentuando uma parte de mistério.

Psicopatia: 3 % de homens e 1 % de mulheres

A psicopatia é uma doença grave muito pouco conhecida que atinge 3 % de homens e 1 % de mulheres.
É um distúrbio permanente do desenvolvimento comportamental caracterizado por comportamentos impulsivos impulsivos e para os quais o sujeito não sente culpa.

Este transtorno psicológico pode interagir e / ou acentuar outros distúrbios como esquizofrenia ou depressão bipolar. Existem vários graus na doença que pode ir de psicopatia moderada a uma passagem ao acto criminoso e perigoso para os outros. Não pode ser diagnosticada antes de 18 anos, mas, em geral, pode-se sempre verificar antecedentes durante a adolescência.

- Psicopatas, ensaio de patológico dinâmico, j. Reid Malloy, 2011, edições frísio-Roche. Para http://www.medisite.fr/

8-qual é a linguagem dos psicopatas?

Não podemos esquecer estas frases deliciosas que, no silêncio dos inocentes, se pronuncia hannibal lecter, interpretado por Anthony Hopkins: " fui interrogado por um funcionário do censo. Eu tenho o fígado dele com favas de manteiga, e um excelente chianti." se ela tivesse saído da boca de um criminoso real, essa citação teria feito a felicidade de um trio de pesquisadores americanos e canadenses que publicaram no mês passado. , na revista legal e criminologia psicologia, um estudo que analisa a forma como os psicopatas são expressos. Isto significa que, para além de não manifestar empatia pelas suas vítimas, que são instrumentalizadas, os psicopatas, quando relatam os seus crimes, fazem muito mais referência do que os assassinos "normais" às suas necessidades fisiológicas e materiais. A comida, a bebida e o dinheiro são muito mais evocados. Por excepcional que pareça, hannibal, o canibal, não é assim tão diferente dos outros.

Les psychopathes éprouvent très peu d’émotions, sont essentiellement centrés sur eux-mêmes et, dans leur vision de la société, ils perçoivent les autres comme des proies ou du bétail à exploiter. C’est probablement pour cette raison que, selon une étude récente, on retrouve tant de psychopathes parmi les dirigeants d’entreprises… Ce sont d’excellents manipulateurs et ils utilisent le langage comme une arme. On se souvient d’ailleurs que le docteur Lecter pousse son voisin de cellule à se suicider après une longue discussion. On sait également qu’au Canada, les psychopathes réussissent 2,5 fois plus que les autres détenus les entretiens qu’ils réalisent en vue d’une libération conditionnelle… Néanmoins, ces qualités verbales, ce bagout, ont été fort peu analysés.

É para colmatar esta lacuna que o estudo de legal e criminologia psychology se deu por objectivo de interrogar na prisão, com o seu acordo, criminosos canadianos, todos culpados de assassinatos que reconheceram. Dos 52 homens escolhidos, 14 eram qualificados de psicopatas por psiquiatras. Os investigadores foram, portanto, entrevistá-los, 25 minutos cada um, pedindo-lhes para contar, com o máximo de detalhes possíveis, os crimes que tinham cometido. Crimes que, em média, tinham ocorrido uma década antes. Uma vez registados, as entrevistas foram feitas para o liquidificador de programas de análise textual. Estes não se limitam a fazer estatísticas sobre as ocorrências de palavras, mas classificam-nas em categorias gramaticais (nomes, artigos, adjectivos, verbos, advérbios, etc) e campos semânticas (palavras que evocam as interacções sociais, o dinheiro). , o tempo, etc. ), soupèsent a sua carga afectiva (positiva ou negativa, intensa ou fraca, figurada ou não) e reconhecem os tempos de conjugação empregados.

Les entretiens réalisés avec les 52 détenus ont totalisé plus de 127 000 mots, dont presque 30 000 pour les 14 psychopathes. La manière dont ceux-ci s’expriment a été comparée avec celle des autres criminels et les chercheurs y ont décelé un certain nombre de points saillants. La première découverte concerne l’usage important que les psychopathes font des conjonctions de subordination et des expressions à valeur causale (parce que, puisque, étant donné que) lorsqu’ils décrivent leurs méfaits. Comme si les crimes qu’ils ont commis étaient les résultats logiques de plans, comme si ces actions devaient être effectuées, ce qui est cohérent avec le fait que la très grande majorité des psychopathes tuent avec un but précis en tête, alors que la moitié des autres meurtriers agissent dans l’instant, sous le coup de la colère, dans des bagarres, etc.

Segundo Ensino, os psicopatas utilizam cerca de duas vezes mais vezes do que os outros do vocabulário que se referem às suas necessidades fisiológicas primárias (comer e beber) e à sua preservação (ter dinheiro, um telhado). Em contrapartida, referem-se muito menos às relações sociais, à família ou à religião. Isso encaixa bem com o retrato-robô do psicopata centrado na sua pessoa, que, embora possa estar confortável na comunicação, se cria dificilmente laços e não contempla nenhuma ajuda familiar ou espiritual para a sua "Reabilitação". Ele Descreve o seu crime de uma forma fria, distante, distante, o que é confirmado pela utilização mais frequente dos tempos do passado, enquanto os outros detidos têm mais tendência para usar o presente para reconstituir os assassinatos de que foram culpados.

Cette étude présente des limites dont les auteurs sont conscients. Notamment le fait qu’on a demandé aux détenus de décrire ces actes si exceptionnels que sont des meurtres. Il faudrait reproduire la même analyse avec des conversations ou des récits plus banals. Les chercheurs suggèrent ainsi de montrer de courtes vidéos à des psychopathes et à des assassins non-psychopathes et de les leur faire décrire ensuite, pour décortiquer la manière dont ils reconstituent les scènes. Evidemment, les conclusions de ces travaux n’ont pas (encore…) de valeur prédictive. Alors, la prochaine fois que quelqu’un raccrochera un peu vite le téléphone en vous disant “J’aimerais poursuivre cette conversation mais… j’ai un vieil ami pour le dîner”, n’imaginez pas forcément que, à l’instar du docteur Frederick Chilton à la fin du Silence des agneaux, le “vieil ami” en question terminera sa carrière en osso-bucco préparé par un clone d’Hannibal Lecter…(Pierre Barthélémy)

(*) Segundo o artigo 147 do Código Penal constitui crime de ameaça aquele que: “ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, a ponto de causar-lhe mal injusto e grave”,cuja pena é de detenção de 1 a 6 meses ou multa. Ameaçar significa anunciar com antecedência, predizer. Isto é, para que a Ação Penal seja iniciada pelo Ministério Público a vítima tem que manifestar sua vontade; tem que deixar claro que ela quer que o Estado tome providências diante daquela situação.

Porém, conforme artigo 38 do Código de Processo Penal, essa representação deverá ser feita no prazo máximo de 6 meses, contados a partir do momento em que ela vier a saber quem é o autor do crime.
A promessa de mal pode ser contra a própria vítima, contra pessoa próxima ou até contra seus bens.

A ameaça é considerada um crime de menor potencial ofensivo, por isso é apurado nos juizados especiais criminais, e o condenado poder ter a pena de prisão substituída por outra pena alternativa, como prestação de serviço à comunidade, pagamento de cestas básicas a alguma instituição, dentre outras.

Para a ocorrência do crime não precisa que o criminoso cumpra o que disse, basta que ele tenha intenção de causar medo e que a vítima se sinta atemorizada.

Obs: Se alguém diz para outrem que “vá para o inferno” ou que quer que a vítima morra, não ocorre o crime de ameaça. Isso fica caracterizado como injúria (artigo 140, CP).

Ameaça é, intimidar alguém impondo-lhe temor de sofrer mal injusto e grave. Ex: jurar alguém de morte... (*)



Nenhum texto alternativo automático disponível.
“As vezes você vai passar a vida inteira tentando pintar a pessoa da forma que você queria que ela fosse. Para no final, perceber que apenas perdeu seu tempo”. As pessoas são o que elas são, e ponto final. Aceitar e seguir em frente é melhor do que ficar atada em um lugar que não te faz bem.
Se você não está feliz aonde você está, mova-se, você não é uma árvore! 🌻
 — com Bruna Martins.
Se doeu, tem que falar,
Se incomodou, tem que explicar,
Se tá ruim, tem que ajeitar,
Se estragou, tem que consertar.
Ou então joga fora, entende???

Não dá pra passar a vida inteira com algo entalado na garganta,

Feito espinha de peixe que não desce e arranha toda vez que a gente engole! .. .

(créditos: Clarissa Côrrea)
Violençia conjugal 

A imagem pode conter: 1 pessoa, barba e texto
Pura realidade....

O mundo está mudando, querido. 
Não se engana uma mulher tão facilmente.
 Se não sabe brincar, nem comece. 
De aprendizes, nos tornamos melhores que os "mestres".
 Cuidado ao atravessar o caminho de uma mulher
 que já dançou com o diabo.
 Nenhuma rasteira da vida, foi capaz de derrotá-la,
não será um mero ser coadjuvante como você,
 que conseguirá isso. 
Dennyse Castro

#vamosfalarmaisclaro

Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

Um comentário:

  1. Oi Maria Teresa, sim, a sua frase é mesmo de autoafirmação, "Quero junto a mim,apenas quem respeita a minha casa e,tão somente,quem ama e respeita a minha alma!"
    Sim, somente com respeito é que se pode ter um bom relacionamento, sem isso é desamor!
    Abraços apertados, saudade de você!

    ResponderExcluir