Com amor, todo sonho é possível

Violência doméstica e familiar: ESSE MAL TEM QUE ACABAR

Boa noite,
concordo que "ESSE MAL TEM QUE ACABAR",
a violência doméstica e familiar
só vai acabar, se você falar,
se você denunciar!
Enquanto você permanecer calada e
você permitir que o teu parceiro te violente emocional,
psicológica, mental, física, social e financeiramente,
ninguém poderá te ajudar,
rompa com as amarras
que te prendem a esse agressor...
Não acredite em promessas de mudança,
isso nunca acontecerá...
Se o teu parceiro,
faz chantagem emocional,
usando os teus filhos,
não se deixe levar,
nem permaneça ao lado de quem não é parceiro e
não respeita a ti e aos teus filhos,
Dê um basta:
Denuncie - disque 180
Se te ameaça, não aceita a separação e
já tentou te matar,
cuidado, busque ajuda:
Denuncie - disque 180

Se te estuprou e ainda 
insiste em reatar,
cuidado, 
ele vai te matar!

Denuncie - disque 180

A imagem pode conter: texto A imagem pode conter: texto
Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto
Fale ou morrerá de dentro pra fora.
Não tenha medo. LIBERTE-SE.

Eu vivi um Relacionamento Abusivo

Denuncie - disque 180
Antes que você se torne,
 mais um número nas estatísticas!

A imagem pode conter: texto
De acordo com as Metas Nacionais do Poder Judiciário para 2018, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) segue monitorando as ações para o enfrentamento contra a violência doméstica e familiar contra as mulheres. A Meta n. 8 do cronograma prevê uma atuação mais incisiva da Justiça Estadual contra essa forma de abuso que machuca toda a família.
 Conheça as metas: http://bit.ly/MetasJudiciario2018
Descrição da imagem #PraCegoVer: Uma mão masculina segurando forte uma mão feminina circuladas pelo símbolo de proibido. Texto: Violência doméstica e familiar: esse mal tem de acabar. Este ano, ações de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra as mulheres serão ampliadas. Meta n. 8: Fortalecer a rede de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra as mulheres no âmbito da Justiça Estadual. CNJ


“Sempre perderemos algo, e
irá nos sobrar apenas o suficiente pra reinventar.
Depois de um fim,
qualquer luta por qualquer coisa
 deve começar pela sobrevivência da mente.
 Seguir em frente, talvez seja isso,
nunca desistir da restauração dos sonhos.
 Nunca desacreditar do que sobrou.
Mesmo que aos pedaços,
 caminhar rumo a uma distância irretratável
 do próprio passado.
 E, ficar longe o bastante do que passou,
 pelo direito de sermos pessoas melhores agora.
 Ou, pela vontade de deixar morrer algo
que não pode mais viver com a gente.”
(Sean Wilhelm)

A imagem pode conter: texto
A Lei 13.431/2017, em vigor a partir desta quinta-feira (5/4), estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência. É reconhecida como forma de violência psicológica os atos de alienação parental (artigo 4º, II, b), sendo assegurado o direito de, por meio do representante legal, pleitear medidas protetivas contra o autor da violência, à luz do disposto no ECA e na Lei Maria da Penha (artigo 6º e parágrafo único).
A Lei Maria da Penha autoriza o juiz a aplicar, além das medidas protetivas elencadas, medidas outras, sempre que a segurança da vítima ou as circunstâncias o exigirem (LMP, artigo 22, parágrafo 1º). Para garantir a efetividade das medidas protetivas de urgência, pode o juiz requisitar o auxílio da força policial (LMP, artigo 22, parágrafo 3º). E, a qualquer momento, decretar a prisão preventiva do agressor, de ofício, a requerimento do Ministério Público ou mediante representação da autoridade policial (LMP, artigo 20).
Deste modo, há que se reconhecer que os direitos e garantias de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência se estendem também aos pais que praticam atos de alienação parental, entre eles o descumprimento da guarda compartilhada.
Pela vez primeira, é possível penalizar quem — ao fim e ao cabo — deixa de atentar ao melhor interesse dos filhos.
Por Maria Berenice Dias
Fonte: Conjur
NP - Advocacia Especializada
Para saber mais sobre esse assunto e outros acesse :
http://natachapequenoadvocacia.site.com.br/

#consultasempreumaadvogada #alienaçãoparental#sap #direitodefamilia #direitodefamíliaesucessões#euescolhiadvogar⚖️ #advocaciaespecializadanp#acompanhenasredessociais




#vamosfalarmaisclaro

Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

0 comentários:

Postar um comentário