Com amor, todo sonho é possível

10 regras para a Felicidade!!!


Aceita um desafio?
Ame-se mais!!!

A imagem pode conter: texto
Galera...
10 regras para a felicidade!
Vale para todas as pessoas...
Mas se encaixa perfeitamente para identificar
 o que você NÃO quer em um relacionamento!
Se não te faz feliz, NÃO É AMOR!

No Brasil, a cada hora, mais de 500 mulheres são violentadas, espancadas ou ameaçadas. Em 2016, foram 4,4 milhões de mulheres vítimas de alguma agressão.

A violência não é sempre física, mas também é psicológica. "O homem quando agride a mulher ele agride aos pouquinhos. A violência psicológica é terrível, destrói a nossa existência. As mulheres perdoam demais. A gente precisa se encorajar para coibir essas violências. E a única maneira de parar com isso é fazendo a denúncia." (Luiza Brunet)

Apesar do alto índice de ocorrências, 52% das mulheres não denunciaram a violência sofrida. Ainda, das mulheres que denunciam, cerca de 70% retiram as denúncias contra seus agressores. Isso porque as mulheres que resolvem não se calar enfrentam o medo, a insegurança e o desamparo.
A promotora de Justiça Gabriela Mansur chamou a atenção para a ausência do Estado como um dos fatores que perpetua casos de agressão e feminicídio no País.

"Enquanto não for prioridade de investimento público, destinação de verba, aprimoramento dos atendimentos, credibilidade da palavra da vítima, deixar pessoas especializadas em estratégias de políticas públicas e criminal, não vamos conseguir diminuir os índices de violência contra a mulher."

Rose Steinmetz,
texto - http://www.huffpostbrasil.com/2017/08/06/as-mulheres-perdoam-demais-o-encontro-de-luiza-brunet-e-mari_a_23067339/?utm_hp_ref=br-mulheres
imagem - Twitter, Senado Federal

Jamais se ausente de você,
ou desista de viver,
por achar que não há saída,
ouse,
denuncie 180 e
ore,
Deus nunca nos abandona,
Ele te ouvirá e
te libertará...
Maria Teresa

Não se permita viver de aparências,
 você não tem o dever de agradar ninguém, apenas você.
Apenas você, tem o poder de decidir o que é ou não é bom para você.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto
Você merece um relacionamento com cuidado e reciprocidade.
 Pois quem vive de migalhas é Pombo.
Homens que nos colocam para baixo, 
não faz isso para o nosso bem, e 
sim porque tem maldade dentro de si mesmo.
Existe uma diferença gritante
entre críticas construtivas e puramente maldade.
Não se esqueçam que há muitos lobos disfarçados de cordeiros.
 Com malícias e segundas intenções e um sorriso caloroso no rosto
conseguem nos matar lentamente.
Escolha sempre viver em paz consigo mesma.
E para isso,

 é preciso parar de nadar em Oceanos
 por quem nunca terá coragem de pular uma poça por você.
#jamais_aceite_ser_maltratada

💞💞 BOA TARDE GRUPO DE GUERREIRAS 💞💞
A imagem pode conter: texto
pq será???
arte da: Motoca
Violençia conjugal

A imagem pode conter: 1 pessoa, área interna
Violences faites aux femmes : la question du traumatisme psychologique
Les troubles psycho traumatiques d'une femme victime de violences sont peu connus et mal pris en charge par les professionnels de santé. Des mécanismes neurobiologiques de survie sont pourtant à l'origine de ces manifestations.
Outre les conséquences médicales bien connues des violences répétées que subissent les femmes, les ma... Ver mais

Violência contra as mulheres: a questão do trauma psicológico
Os distúrbios psico-Traumáticos de uma mulher vítima de violência são pouco conhecidos e mal suportados pelos profissionais de saúde. No entanto, os mecanismos de sobrevivência estão na origem destas manifestações.
Para além das consequências médicas bem conhecidas da violência repetida que as mulheres sofrem, as manifestações psicológicas passam frequentemente para o segundo plano.
O Trauma vivido pelas vítimas provoca, no entanto, verdadeiros distúrbios psico-traumáticos com consequências dramáticas para a saúde das mulheres.
O comportamento por vezes incompreensível das mulheres vítimas de violência repetida, como o facto de ficar com o seu marido violento ou a indiferença que algumas mulheres têm em relação às suas situações dramáticas, é muitas vezes mal compreendido pelo médico, não formado em psicologia traumática. .
Ora, estas manifestações resultam de mecanismos maré constatados em ressonâncias cerebrais, segundo os trabalhos da Dra. Muriel Salmona, psiquiatra, psico-cirurgião e presidente da Associação de memória traumática e vitimologia.
Reacções maré normais face a uma situação anormal
Face a um stress extremo, como violação ou violência doméstica, o cérebro colocaria mecanismos de defesa e de salvaguarda que permitem à vítima diminuir o seu sofrimento físico e psíquico, segundo a Dra. Muriel Salmona.
Tratar-se-ia de "reacções maré normais do cérebro face a uma situação anormal, a da violência", segundo a psiquiatra.
O choque que causa um estado de de da psique, como se a pessoa estivesse paralisada, impedindo-a de reagir de forma adequada.
Devido ao trauma violento, o circuito emocional no cérebro (o sistema límbico) dizia como um circuito eléctrico.
O stress resultaria numa sobreprodução de hormonas do stress, adrenalina e cortisol, responsáveis por manifestações físicas a nível cardíaco e neurológico que podem pôr em risco a vida (taquicardia, ansiedade, por vezes enfarte do miocárdio ou acidente vascular cerebral).
Em caso de stress extremo, o cérebro está a passar-se como um circuito eléctrico.
Como faria um circuito eléctrico para parar o grande, o cérebro se-se e faz todo o circuito emocional de forma a diminuir a produção das hormonas do stress e evitar que a pessoa morra de stress.
O cérebro começa a produzir hormonas como a morfina e cetamina-Like para "acalmar" o estado de stress, provocando um estado de analgesia total. Mesmo que o trauma continue (por exemplo, durante uma violação), as secreções de morfina e cetamina-like permitem que a pessoa não sinta nenhuma dor física e psíquica.
Esta anestesia emocional e física gera na vítima uma dissociação, ou seja, um sentimento de estranheza, de despersonalização com a impressão de se tornar espectadora da situação. Ela parece indiferente ao que lhe está a acontecer.
Além disso, este mecanismo de protecção do cérebro permite desligar a amígdala cerebral (estrutura cerebral do circuito emocional responsável pelas respostas sensoriais e emocionais) do hipocampo (outra estrutura que gere a memória).
Memória traumática ou uma verdadeira ' ' Bomba ' em retardement' '
No caso de um choque pontual e moderado, a amígdala acende-se e envia as informações ao hipocampo que permite integrar as informações e mantê-las na memória.
Enquanto, em caso de choque extremo, como violação ou violência repetida, a separação entre a amígdala e o hipocampo leva a uma amígdala da amígdala e a uma extinção do hipocampo.
O hipocampo já não pode fazer o seu trabalho de gestão de memória. Toda a memória sensorial e emocional permanece então presa na amígdala e não pode tornar-se uma memória autobiográfico armazenada normalmente no hipocampo.
Esta memória presa na amígdala, chamada memória traumática, conduz de forma descontrolada a flash-Back, dos de cenas violentas, com o mesmo sentimento de terror e dor física e psíquica.
O Dr. Salmona qualifica a memória traumática de uma verdadeira "Bomba-Relógio" pronta para explodir a qualquer momento, quando um estímulo lembra o trauma. Além disso, a separação do hipocampo irá causar perturbações memória mais ou menos importantes.
O Dr. Salmona mostra nos seus trabalhos que estes disfuncionamentos do circuito emocional são visíveis em ressonâncias cerebrais.
Uma má interpretação do comportamento da vítima.
As vítimas são assombradas por esta memória traumática, responsável por um sofrimento atroz, tanto psíquico como físico.
Provocando o mesmo estado de stress extremo que durante o choque inicial, desencadeia novamente a secreção de hormonas do stress (adrenalina, cortisol) podendo, mais uma vez, pôr em risco o prognóstico vital. As suas vidas tornam-se um inferno com uma sensação de perigo e de medo permanentes.
Para evitar explodir a bomba que é a memória traumática, a vítima vai criar condutas de controlo ou de evasão.
As condutas ditas dissociantes permitem-lhe recuperar um estado de anestesia física e emocional. Isto pode passar por drogas ou álcool.
Pior ainda, ela pode voltar a situações de perigo (Automutilations, hetero agressividade, postas em perigo sexual, jogos perigosos,...) para desencadear o estado de stress inicial para recuperar essa dissociação sem emoção e sem dor (através da secreção. De morfina ou cetamina-LIKE).
A mulher vítima pode então parecer indiferente ou desligada da realidade.
Estas condutas são, evidentemente, inconscientes e não são compreendidas pela comitiva ou pelos profissionais a tem a cargo (médicos, psicólogo, policiais). A vítima isola-se ainda mais, encontra-se indefesa, sozinha perante os seus demónios.
Compreender melhor os mecanismos para uma melhor tomada a cargo
Os distúrbios psico-Traumáticos, como a memória traumática ou a dissociação, são fenómenos mal conhecidos dos médicos, porque não são formados na psico-Trauma.
Os profissionais interpretam frequentemente estes distúrbios como intrínsecos à vítima quando não lhe estão ligados, mas são consequência dos mecanismos maré secundários ao choque emocional extremo induzido pela violência dos actos sofridos.
Por sentimento de impotência, por falta de tempo, por convicção pessoal ou por desconhecimento, os médicos se-se a tratar os sintomas físicos descritos pela vítima.
Sem Suporte, estes distúrbios psico-traumáticos viverão no tempo e assombrarão a vida da vítima. Ora, estas manifestações podem atenuar-se através de sessões de psicoterapia graças à plasticidade do cérebro.
"Às vezes, dar a alguém uma segunda chance
 é como querer receber outra bala,
 porque a primeira não te matou."
G1 da Astrologia

Nenhum texto alternativo automático disponível.
"... Não é a falta de coragem, nem o amor demasiado. 
A violência psicológica simplesmente prende.
 Sem algemas, sem chaves nas portas. Não há explicações.
Simplesmente algumas mulheres não conseguem sair." 

Não vamos julgar se não pudermos ajudar ...

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, telefone
La Manipulation Mentale Perverse Narcissique
Violence : n’oublions pas les femmes âgées
L'âge multiplie le risque de violence
Le Centre national d'information sur les droits des femmes et des familles (CNI...

Violência: não esqueçamos as mulheres idosas
A idade multiplica o risco de violência

O Centro Nacional de informação sobre os direitos das mulheres e das famílias (cnidff) cruzou assim os dados dos diferentes ministérios, administrações e associações. Avalia assim a mais de 600 000 pessoas idosas (mulheres e homens) entre os 65 e os 75 anos que sofreriam abusos e em mais de 680 000 as mais de 75 Anos.

Por seu lado, uma outra associação, a rede alma (alô maus-tratos dos idosos e / ou das pessoas com deficiência) constata, ela, que a idade multiplica o risco de violência. Assim, 75,5 % das mulheres vítimas que ligam têm mais de 65 anos.

As associações também se incluem como para as pessoas idosas em geral, a violência - física, psicológica, financeira, sexual - é o facto da comitiva (o cônjuge, as crianças, os netos).

Para uma sensibilização?

A tomada de consciência dos abusos sofridos pelas mulheres data de 1999. Foi o inquérito nacional sobre a violência contra as mulheres em França (envef) que permitiu, com efeito, revelar a dimensão deste fenómeno. O problema é que só as mulheres com idades entre os 18 e os 59 anos foram interrogadas na altura. Compreende-se então porque é que toda a franja dos mais de 65 anos é hoje a grande esquecida das campanhas de comunicação e de sensibilização sobre o assunto.

Os resultados do grande estudo realizado no âmbito do projecto europeu stop vi.e.w deverão permitir colmatar esta falta, dando uma fotografia mais precisa das violências feitas às mulheres idosas, mas sobretudo dando origem a recomendações.

A imagem pode conter: 1 pessoa
O homem quando agride uma mulher pratica um crime. 
Você quando vê e não denuncia é omisso e pratica outro.

Omissão é deixar de fazer ou dizer alguma coisa, 

pode ser entendido como deixar de lado,
 desprezar ou esquecer algo ou alguém, 
seja para proteger interesse próprio ou de outro.​

​​​“Quando você não faz nada, está ajudando o homem.

 Mas quando faz alguma coisa, ajuda a mulher!”

#ViolênciaContraMulher #NãoSejaOmisso#Denuncie #Disque180
A imagem pode conter: texto

Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

0 comentários:

Postar um comentário