Com amor, todo sonho é possível

7 táticas altamente manipuladoras que...




A imagem pode conter: texto
Serenidade

Boa noite, espero que estejam bem,
na graça de Deus!
Eu? Como estou?
Estou feliz,
 porque Deus tem me conduzido e
permitido encontrar os caminhos,
para conhecer pessoas,
que me proporcionam o entendimento
das situações que vivenciei...
Recentemente, ouvi de meu filho mais velho:
"- Não confio em trabalho de psicólogo,
você a vida toda fez terapia e nunca melhorou!"
 Nesta semana, num dos grupos em que participo,
no Facebook, uma pessoa falou:
"- Uma pessoa num relacionamento tóxico de abuso e violência,
deve ser encaminhada a profissionais capacitados e treinados,
para identificar e tratar, do contrário ela jamais retornará a si."
Estive ausente de mim por mais de 30 anos,
Cristo me libertou, resgatou minha vida e
colocou (literalmente) em meu caminho ,
a psicóloga Fátima do UBS daqui,
que, com muita paciência me ouviu e,
me disse: "Louca, você não parece estar,
mas está muito fragilizada, vou te encaminhar ao
CAISME - Franco da Rocha, para uma avaliação dos
profissionais - Psiquiatras..."
Comecei a escrever,
Levava as cópias para a consulta e era incentivada a continuar,
meu foco sempre foi alertar as mulheres,
a não desistir da luta,
a não se calar,
 a buscar ajuda de profissionais psicólogos e/ou psiquiatras
em situações de abuso,
 manipulação e risco de vida.
Gratidão a todos os profissionais que me atenderam!

Agradeço a Deus pela oportunidade de conhecer e
receber o excelente material da psicanalista Dra. Julia Barany,
"para sobreviventes de psicopatas"
a quem pedi licença para publicar aqui,
assim sendo, à medida que receber,
farei a publicação.
Gratidão,  Dra. Julia Barany!



A imagem pode conter: texto
Serenidade

recapitulando...
"Pessoas tóxicas, como narcisistas malignos, psicopatas e pessoas com traços anti-sociais, praticam comportamentos mal-adaptativos em relacionamentos e acabam p...
Ver mais

PSICOLOGIASDOBRASIL.COM.BR
Embora aqueles que não são narcisistas também possam empregar essas táticas, os narcisistas abusivos utilizam excessivamente, em um esforço para escapar da responsabilidade por suas ações.

Pessoas tóxicas, como narcisistas malignos, psicopatas e pessoas com traços anti-sociais, praticam comportamentos mal-adaptativos em relacionamentos e acabam por explorar, rebaixar e ferir seus parceiros íntimos, familiares e amigos. Usam uma infinidade de táticas que distorcem a realidade de suas vítimas. Embora aqueles que não são narcisistas também possam empregar essas táticas, os narcisistas abusivos utilizam excessivamente, em um esforço para escapar da responsabilidade por suas ações.

Aqui estão 7 táticas que pessoas tóxicas usam para silenciar você.

1. Gaslighting

Gaslitghting é uma tática manipuladora que pode ser descrita em diferentes variações de três palavras: “Isso não aconteceu”, “Você imaginou” e “Você está louco?”
Trata-se de talvez uma das táticas manipuladoras mais recorrentes por aí, ela trabalha para distorcer e desgastar seu senso de realidade; corrói a sua capacidade de confiar em si mesmo e, inevitavelmente, impede você de sentir ter razão em contrariar abusos e maus-tratos.
Quando um narcisista, um sociopata ou um psicopata lhe ferir, você pode estar propenso a se iludir. Como uma maneira de reconciliar a dissonância cognitiva que possa surgir. Duas crenças conflitantes batalham: essa pessoa está certa ou posso confiar no que experimentei? Uma pessoa manipuladora irá convencê-lo de que a primeira é uma verdade inevitável, enquanto a segunda é um sinal de disfunção da sua cabeça.
Para resistir é importante se ater em sua própria realidade – às vezes, escrever as coisas à medida que acontecem, dizer a um amigo ou reiterar sua experiência para uma rede de apoio pode ajudar a neutralizar o efeito do gaslitghting. O poder de ter uma comunidade de validação é que ela pode redirecioná-lo da realidade distorcida e voltar à uma orientação mais saudável.

2. Projeção

Um sinal claro de toxicidade é quando uma pessoa está cronicamente indisposta a ver suas próprias deficiências e usa tudo o que está ao seu alcance para evitar ser responsabilizada. Isso é conhecido como projeção. A projeção é um mecanismo de defesa usado para deslocar a responsabilidade de seus comportamentos e características negativos atribuindo-os a outra pessoa. Em última análise, ele age como uma digressão que evita a auto-observação e a responsabilidade.
Por exemplo, uma pessoa que se envolve em mentira patológica pode acusar seu parceiro de mentir; cônjuge super-carente pode chamar seu companheiro de “pegajoso” na tentativa de descrevê-lo como aquele que é dependente; um empregado rude pode chamar seu chefe de ineficaz em um esforço para escapar da verdade sobre sua própria produtividade.
Solução? Não “projete” seu próprio senso de compaixão ou empatia em uma pessoa tóxica e não absorva nenhuma das projeções da pessoa tóxica. Como especialista em manipulação e autor Dr. George Simon (2010) observa em seu livro In Sheep’s Clothing, projetar nossa própria consciência e sistema de valores em outros tem a conseqüência potencial de torna-se uma exploração emocional.

3. Conversas absurdas

Se você acha que vai ter uma discussão cuidadosa com alguém que é tóxico, esteja preparado para o mindfuckery épico, em vez de mindfulness conversacional.
Narcisistas e sociopatas malignos usam salada de palavras, conversas circulares, argumentos ad hominem, projeção e gaslighting para desorientar você e tirá-lo do rumo se discordar deles ou desafiá-los de alguma forma. Eles fazem isso para desacreditá-lo, confundi-lo e frustrá-lo, distraí-lo do problema principal e fazer com que você se sinta culpado por ser um ser humano com pensamentos e sentimentos reais. Na visão deles, você é o problema se você existir.
Lembre-se: pessoas tóxicas não discutem com você, elas essencialmente discutem com elas mesmas e você fica a par dos seus longos e pesados monólogos.

4. Generalizações

Narcisistas malignos nem sempre são intelectuais espertos – muitos deles são intelectualmente preguiçosos. Ao invés de dedicar um tempo para considerar cuidadosamente uma perspectiva diferente, eles generalizam tudo e qualquer coisa que você diz, fazendo declarações gerais que não reconhecem as nuances em seu argumento ou levam em conta as múltiplas perspectivas possíveis.
Em uma escala maior, as generalizações e declarações gerais invalidam experiências que não se encaixam nas suposições, esquemas e estereótipos da sociedade; eles também são usados para manter o status quo. Essa forma de digressão exagera uma perspectiva até o ponto em que uma questão de justiça social pode se tornar completamente obscurecida. Por exemplo, as acusações de estupro contra figuras populares são freqüentemente acompanhadas da lembrança de que há relatos falsos de estupro. Relatos falsos realmente ocorrem , mas eles são raros, e neste caso, as ações de um tornam-se como o comportamento da maioria, enquanto um caso específico em si permanece sem solução.
Pessoas tóxicas empunhando afirmações genéricas não representam a riqueza completa da vida – elas representam o limitado de uma experiência singular e de um senso de questionamento auto-inflado.

5. Deturpar seus pensamentos e sentimentos ao ponto do absurdo.

Nas mãos de um narcisista maligno ou sociopata, suas opiniões divergentes, emoções legítimas e experiências vividas são traduzidas em falhas de caráter e evidência de sua irracionalidade.
Narcisistas tecem contos altos para reformular o que você está realmente dizendo como uma maneira de fazer suas opiniões parecerem absurdas ou hediondas. Digamos que você mostre o fato de estar insatisfeito com a maneira como um amigo tóxico fala com você. Em resposta, ele ou ela pode colocar palavras em sua boca, dizendo: “Ah, então agora você é perfeita?” Ou “Então, eu sou uma pessoa ruim, hein?” Quando você não fez nada além de expressar seus sentimentos. Isso permite que eles invalidem seu direito de ter pensamentos e emoções sobre um comportamento inadequado e incutir um sentimento de culpa quando você tenta estabelecer limites.
Enquanto a pessoa tóxica pode desviar-se de seu próprio comportamento, podem conseguir convencê-lo de que você deveria ser “envergonhado” por dar-lhes qualquer tipo de feedback realista.

6. Críticas desnecessárias

A diferença entre crítica construtiva e crítica destrutiva é a presença de um ataque pessoal e padrões impossíveis. Esses chamados “críticos” muitas vezes não querem ajudá-lo a melhorar, só querem descobrir uma fraqueza e expô-la de qualquer maneira. Narcisistas e sociopatas abusivos empregam uma falácia lógica conhecida como “mover os postes” para garantir que eles tenham todos os motivos para estarem sempre insatisfeitos com você.
Você tem uma carreira de sucesso? O narcisista começará a entender por que você ainda não é um milionário. Você já cumpriu sua necessidade de ser excessivamente atendido? Agora é hora de provar que você também pode permanecer “independente”. Os postes da meta mudam constantemente e podem nem estar relacionados uns com os outros; eles não têm outro ponto além de fazer você disputar a aprovação e validação do narcisista.
Não se deixe enganar e mudar as suas metas – se alguém escolher relembrar repetidamente uma coisa irrelevante a ponto de não reconhecer o trabalho que você fez para avançar. Essa pessoa só quer provocar ainda mais a sensação de que você tem que provar algo constantemente a si mesmo. Valide e aprove você mesmo. Saiba que você é o suficiente e não precisa se sentir constantemente deficiente ou indigno.

7. Abuso verbal disfarçados de piadas

Os narcisistas secretos gostam de fazer comentários maliciosos às suas custas. Estes são geralmente vestidos como “apenas piadas” para que eles possam se safar dizendo coisas assustadoras enquanto mantêm um comportamento inocente e legal. No entanto, toda vez que você fica indignado com uma observação dura e insensível, você é acusado de não ter senso de humor. Essa é uma tática freqüentemente usada no abuso verbal.
Imagem de capa: Alex Iby on Unsplash
Este texto é uma tradução adaptada de 20 Diversion Tactics Highly Manipulative Narcissists, Sociopaths And Psychopaths Use To Silence You  da autora Shahida Arabi no site Thought Catalog

Denuncie,
peça as Medidas Protetivas,
 se não te atenderem,
corra atrás para que Justiça seja feita,
não permita que o agressor saia impune!
 Se não tens como te livrar,
desse relacionamento opressivo,
obsessivo e possessivo,
se estás em situação de violência e/ou risco,
se estás sendo ameaçada:
Denuncie 180
Antes que ele te mate...
Busque ajuda profissional
(psicológica e/ou psiquiátrica),
porque sozinha,
 não dá para enfrentar essa barra.
Maria Teresa

0 comentários:

Postar um comentário