Com amor, todo sonho é possível

Os predadores da espécie humana


Agradeço a Deus pela oportunidade de conhecer e
receber o excelente material da psicanalista Dra. Julia Barany,
"para sobreviventes de psicopatas"
a quem pedi licença para publicar aqui,
assim sendo, à medida que receber,
farei a publicação.
Gratidão,  Dra. Julia Barany!
A imagem pode conter: texto
Serenidade


[PeN] Os predadores da espécie humana


Nos primórdios da nossa história poder-se-ia atribuir ao demônio as maldades humanas. As pessoas cometiam delitos por serem seduzidas ou conduzidas pelo maligno. Hoje, em plena era da consciência e da ciência, já não dá para imputar a culpa ao além.

Quem faz o mal?
Para que faz o mal?
Faz o mal porque não sabe?
Faz o mal porque quer?

A nossa humanidade não concebe que um ser humano possa causar dor nos outros intencionalmente e ainda se deleitar com isso.
Sempre fomos ensinados que todo ser humano tem a bondade intrínseca em sua alma e se causa dor nos outros é por não ter consciência de seus atos.
Nossa humanidade nos leva a acreditar que ninguém é mau por natureza, e sempre queremos estender a mão a outro ser humano necessitado de atenção, calor ou pão.

A empatia nos faz sentir o que o outro sente e nos mover para compreendê-lo, chorando junto e rindo junto. A empatia cobra de nós o acolhimento a quem precisa. A empatia nos faz sentir o frio que o outro sente, a fome que o outro sente, a angústia que o outro sente. Para nós é quase inevitável a empatia.

Quando temos um pouco mais de consciência, dizemos que todos nós possuímos o lado sombra. Então sejamos compassivos uns com os outros e perdoemos as nossas falhas mútuas.

Mas há o mal realizado intencionalmente.
Há o mal que é feito por prazer de fazê-lo.

Há o mal que é feito porque não se enxerga o outro, ou pior, o outro não importa.
Há o mal praticado por criaturas que se aproveitam da bondade intrínseca dos seres humanos. E se aproveitam de forma planejada, escusa e sorrateira.
Esse mal é praticado não porque a pessoa alucina ou não vê.

Esse mal é praticado por criaturas que nem sabem o que é moral, a capacidade do ser humano de discernir o certo e o errado, não de acordo com alguma lei moral exterior e sim de acordo com sua própria consciência, e agir de acordo.

Então existem pessoas amorais?
Então existem pessoas acometidas de loucura moral?
Pessoas sem consciência?

Essas pessoas na aparência não se distinguem em nada de todos nós. Elas agem, se comportam e vivem aparentemente como todos agem, se comportam e vivem.

No entanto, há uma diferença fundamental: uns são seres humanos e os outros são predadores da espécie humana.
Você consegue distinguir uns dos outros?

Julia Barany

Equipe Superasas

Gratidão, Julia Barany

AS DESCULPAS QUE OS PSICOPATAS NOS CONTAM

As desculpas que os psicopatas nos contam, para dizer: “Não é a minha culpa.”
Quem ouviu outras desculpas, contribua!
Por Júlia Bárány, baseado no artigo de Donna Andersen em:

Uma das características que definem um psicopata é que ele nunca assume responsabilidade por coisa alguma, 
embora aparentemente até diga que seja responsável por algo, só para fazer pose de gente decente.
 Na verdade, um psicopata acha que nunca é culpa dele. 
Qualquer problema que ele possa estar enfrentando sempre é causado por outro alguém, ou pelas circunstâncias
 além de seu controle.
Donna Andersen acha que foi uma criança psicopata que inventou a desculpa para a professora:
 “O cachorro mastigou minha lição de casa.”
Um psicopata adulto pode ter dito que seu negócio revolucionário não vingou porque o governo tomou seu terreno. 
É claro que ele não mencionou o fato de que ele jamais teve um terreno, e jamais levantou o dinheiro para começar
 o tal negócio. 
E culpou o governo por seu negócio não ter dado certo.
Há uma lista enorme de desculpas psicopáticas que os terapeutas que cuidam das vítimas ouvem:
– Eu tenho problemas porque sofri abuso quando criança
– Minha mãe era louca, por isso eu tive uma infância infeliz
– Não tenho culpa de ter estuprado uma adolescente, pois afinal ela se ofereceu para mim
– Saí do emprego porque meu chefe é um tolo
– Perdi o processo porque a outra parte foi desonesta
– Minha ex é psicologicamente perturbada, coitada, e eu aguentei isso durante anos
– Minha ex não permite que eu veja as crianças porque ela é louca
– O governo congelou minhas contas bancárias por isso não consigo acessar meu dinheiro
– Repeti de ano porque a professora me odeia
– O rapaz era tão afogueado que eu precisei dormir com ele
– O cachorro não parava de latir por isso tive que acabar com ele
– Eu a divorciei para protegê-la das minhas dívidas
– Meu genro é um psicopata por isso ele quer tirar tudo de mim
– etc.
Os objetivos para essas desculpas são:
– Fazer-se de vítima
– Transferir a culpa para outros
– Ganhar compaixão dos outros
O psicopata está tentando convencer seu alvo – isso é você – que ele merece crédito, é confiável e precisa ser ajudado,
porque ele não é responsável pelos problemas que enfrenta.
É preciso sempre ter em mente que:
  1. Psicopata mente muito, portanto, uma desculpa pode ser total criação dele
  2. Mesmo quando psicopata não está mentindo, ele sempre tem um motivo oculto
  3. As desculpas são tentativas de impressionar, convencer você a lhe dar o que ele quer
Abaixo, contribuam com as desculpas que vocês ouviram!




Denuncie,
peça as Medidas Protetivas,
 se não te atenderem,
corra atrás para que Justiça seja feita,
não permita que o agressor saia impune!
 Se não tens como te livrar,
desse relacionamento opressivo,
obsessivo e possessivo,
se estás em situação de violência e/ou risco,
se estás sendo ameaçada:
Denuncie 180
Antes que ele te mate...
Busque ajuda profissional
(psicológica e/ou psiquiátrica),
porque sozinha,
 não dá para enfrentar essa barra.
Maria Teresa

0 comentários:

Postar um comentário