Com amor, todo sonho é possível

Sintomas comuns que vítimas dos psicopatas apresentam

Agradeço a Deus pela oportunidade de conhecer e
receber o excelente material da psicanalista Dra. Julia Barany,
"para sobreviventes de psicopatas"
a quem pedi licença para publicar aqui,
assim sendo, à medida que receber,
farei a publicação.
Gratidão,  Dra. Julia Barany!
A imagem pode conter: texto
Serenidade

[PeN] Sintomas comuns que vítimas dos psicopatas apresentam


Quando você se deparar com um parente ou amigo ou colega de trabalho que mudou muito, que nem parece ser a mesma pessoa que você conheceu antes, preste atenção.

Se antes essa pessoa era alegre e leve, agora está triste, pesada e esquisita.
Se antes essa pessoa parecia caminhar por sua vida e conseguir vencer os obstáculos, agora parece ter perdido a vontade de continuar.

Se antes essa pessoa era relativamente independente, com opinião própria, agora não faz nada sem o seu parceiro, sem sua aprovação.

Até fisicamente, a pessoa enfeiou. Anda adoentada, toma antidepressivo.
E você se pergunta, o que será que está acontecendo?

Os amigos foram se afastando. Os colegas de trabalho também. Até a família não frequenta mais a sua casa.
Ela se culpa o tempo todo de coisas que nem fez.

Chora mais do que deveria, as lágrimas estão sempre prestes a brotar, por qualquer motivo bobo até.
Definha.

A pessoa não consegue entender tampouco o que foi que aconteceu e busca, e busca, onde é que ela fez algo de errado para tudo descambar desse jeito.
Esmera-se cada vez mais em agradar o companheiro, e a situação apenas piora.
Faz coisas que antes jamais faria. Só para alcançar um pouco de alívio que seja nessa situação horrorosa, insustentável.

E ele não se contenta com nada. Abandona-a cada vez mais longamente. Parece até estar em busca de outras opções.

Você ainda lembra como foi luminoso o casamento deles, o quanto ela estava feliz, declarando aos quatro ventos que finalmente havia encontrado o homem de seus sonhos. E foram viver um conto de fadas tornado realidade. Por um tempo.
Você conhece uma história assim?

Parece com tantas histórias de desilusão amorosa. Mas preste atenção, porque nessa história pode estar escondido um personagem tenebroso que age sorrateiramente para que tudo pareça assim mesmo, e ele se fazendo de vítima. Uma versão do avesso da verdadeira.

Preste atenção, porque essa pode não ser uma comum história de desilusão amorosa.

Preste atenção, porque aqui pode estar escondida uma armadilha.
E a perda ser muito maior do que você jamais poderia ter imaginado.

As aparências enganam?
Enganam, e como!
Aguce o olhar, veja por trás das aparências.
Você sabe o que pode estar escondido nessa história?
Se você quer realmente ajudar essa pessoa, você sabe como?
E se essa pessoa for você mesmo?
Julia Barany
Equipe Superasas
Gratidão,  Dra. Julia Barany!

COMO SEU CÉREBRO ADMINISTRA UM TRAUMA

  


tradução livre por Julia Bárány de trechos de https://lovefraud.com/after-the-sociopath-managing-how-my-brain-manages-trauma/

Depois que você sofreu um trauma, seu cérebro assume uma tarefa. Ele se compromete a proteger você
 pelo resto da vida. Dali em diante, seu trabalho é de garantir que você sempre esteja totalmente seguro.
Ao adormecer você se torna vulnerável, entregue ao ambiente e às circunstâncias sem poder se proteger.
 Nesse estado você poderá ser traumatizado novamente, e foi o que aconteceu quando você era criança,
 por exemplo. Os pensamentos e as imagens que inundam sua mente quando você tem insônia são manobras
 do seu cérebro para manter você acordado e poder se defender caso necessário.
Você pode ver imagens de violência, ter pensamentos de situações amedrontadoras, de impotência,
 de angústia, de ansiedade, e isto tudo é calculado pelo seu cérebro para que você se mantenha vigilante.
 Esses pensamentos não cessam porque o comprometimento do seu cérebro é com sua proteção.
Então o que fazer?
Tenha uma vida apaixonante, viva bem o seu dia a dia, e transforme suas horas acordadas em horas
 significativas e com propósito.
As imagens de violências vão continuar ocorrendo, mas se você for dormir após um dia bem vivido,
 terminando-o satisfeito consigo mesmo, elas tenderão a durar pouco. Sua satisfação por ter feito o melhor 
que pode do seu dia o acalentará para o sono.
O seu cérebro ama você do melhor jeito que consegue. Então use o exercício de contar carneirinhos e
 coloque no lugar dos carneirinhos os vários momentos de prazer que você conseguiu ao longo do seu dia.
Julia Barany
Equipe Superasas

                                Gratidão,  Dra. Julia Barany!




Denuncie,
peça as Medidas Protetivas,
 se não te atenderem,
corra atrás para que Justiça seja feita,
não permita que o agressor saia impune!
 Se não tens como te livrar,
desse relacionamento opressivo,
obsessivo e possessivo,
se estás em situação de violência e/ou risco,
se estás sendo ameaçada:
Denuncie 180
Antes que ele te mate...
Busque ajuda profissional
(psicológica e/ou psiquiátrica),
porque sozinha,
 não dá para enfrentar essa barra.
Maria Teresa


#vamosfalarmaisclaro

Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

0 comentários:

Postar um comentário