Com amor, todo sonho é possível

Teste para saber se você se relaciona com psicopata.


Agradeço a Deus pela oportunidade de conhecer e
receber o excelente material da psicanalista Dra. Julia Barany,
"para sobreviventes de psicopatas"
a quem pedi licença para publicar aqui,
assim sendo, à medida que receber,
farei a publicação.
Gratidão,  Dra. Julia Barany!
A imagem pode conter: texto
Serenidade


TESTE PARA SABER SE VOCÊ SE RELACIONA COM PSICOPATA
(ADAPTADO DE PSYCHOPATHFREE.COM)

1. A pessoa cumpre suas promessas?
( 2 ) Às vezes sim, às vezes não.
( 1 ) Não, suas ações nunca combinam com suas palavras grandiosas. Aprendi a ficar calado/a para não parecer sensível demais ou maluco/a.
( 4 ) Sim, é claro. Sempre que o meu parceiro promete, cumpre.
( 3 ) Na maior parte das vezes. Sua conduta combina bastante com suas palavras.

2. A pessoa entende seus sentimentos?
( 2 ) Não realmente. Mas sempre foi assim. É bem centrada em si mesma, mas me ajuda sempre que eu preciso.
( 3 ) Um tanto, mas eu não tenho do que meu queixar.
( 4 ) É bem empático/a e compassivo/a. Parece sempre entender minhas motivações e, quando compartilho algo, a pessoa ouve e compreende.
( 1 ) Não mais. Tento desesperadamente explicar como a pessoa me faz sentir, mas isso só a incomoda. Ou então se distancia e fica calada. Eu me sinto enlouquecer.

3. Essa pessoa costuma ser hipócrita?
( 1 ) A pessoa espera muito de mim mas não admite que eu espere o mesmo dela.
( 3 ) Se é, não percebi. Afinal somos todos humanos.
( 2 ) Às vezes, mas acaba admitindo quando fica evidente.
( 4 ) Nunca foi hipócrita e nunca me julga por meus erros. Não se coloca acima das regras.

4. Você já pegou esta pessoa mentindo?
( 3 ) Não mais que qualquer pessoa normal. Todos dizem uma mentirinha de vez em quando.
( 2 ) A pessoa mente de vez em quando, mas não por maldade ou intenção. Quando pega na mentira, fica constrangida.
( 1 ) Sim, e nunca é culpa da pessoa. Sempre tem uma desculpa para tudo mesmo para algo que não precisa de justificativa.
( 4 ) Não, esta pessoa jamais mentiria para mim.

5. Ele/ela se torna distante afetivamente, do nada, ou nega afeto?
( 2 ) Às vezes, mas é assim desde que nos conhecemos. Não me importo com certo distanciamento ocasional.
( 1 ) Sim, mas fico realmente confuso/a porque no início do relacionamento era o contrário. Está sempre justificando porque não se comunica comigo ou não fica mais tempo comigo.
( 3 ) Não, não sinto que está me evitando ou se distanciando de mim. Depois de uma discussão, sim, mas isso logo passa.
( 4 ) Não, meu parceiro/a jamais usaria essas táticas comigo. Quando temos problemas, simplesmente conversamos.

6. Como você se sente dentro do relacionamento?
( 2 ) Não estou muito feliz, mas ainda consigo expressar minhas opiniões e frustrações.
( 3 ) Estou bem feliz no meu relacionamento e sei que posso conversar com meu parceiro/a quando algo me perturba.
( 1 ) Eu era uma pessoa bem tranquila, mas agora eu me sinto ciumento/a, desesperado/a e carente o tempo todo.
( 4 ) Eu me sinto calmo/a, tranquilo/a e seguro/a no meu relacionamento. Tem sido assim desde o início.

7. Você tem medo de perder esta pessoa?
( 3 ) Não, nós dois gostamos da companhia um do outro e nos sentimos de forma semelhante no relacionamento.
( 2 ) Não tenho total certeza quanto ao relacionamento, mas não acho que a pessoa queira me largar.
( 1 ) Sim, em vez do entusiasmo de ter encontrado o amor, agora tenho constante medo de perdê-lo. Qualquer briga pode ser o fim de tudo.
( 4 ) Não tenho motivo algum de ter este medo. O nosso amor é mútuo e o nosso relacionamento é saudável.

8. Você confia na pessoa?
( 1 ) Não. E não consigo explicar porque, mas muitas vezes acabo me fazendo de detetive e investigando o que a pessoa declara.
( 2 ) Não realmente, porque a pessoa foi mudando com o tempo, então nunca sei o que esperar.
( 3 ) Confio. A pessoa não faz nada para eu não confiar.
( 4 ) Confio totalmente, colocaria minha vida nas mãos da pessoa.

9. Existe drama no relacionamento de vocês?
( 3 ) Existe um certo drama em qualquer relacionamento. Nada diferente do que eu já passei como outros parceiros.
( 2 ) Nós brigamos muito, mas não sobre as mesmas questões. Porém eu gostaria de brigar menos.
( 4 ) Raramente brigamos porque entendemos como o outro se sente. Não tentamos provocar ciúmes nem criamos tensão desnecessária. Estamos construindo a confiança mútua.
( 1 ) A pessoa disse que odeia drama mas o nosso relacionamento é sempre dramático. Estamos sempre brigando por causa das mesmas coisas. Parece que ela cria drama e depois me acusa por estar reagindo a isso.

10. Como ele/ela lida com o tédio?
( 1 ) Ele/ela está sempre entediado e o tempo todo busca a atenção dos outros.
( 3 ) Fica entediado facilmente mas não se importa em ficar sozinho durante um tempo.
( 4 ) Nunca fica entediado, e gosta de ficar sozinho com seus pensamentos.
( 2 ) Ele/ela fica entediado com tarefas chatas, mas não somos todos assim?

11. Como ele/ela se relaciona com o ex dele/dela?
( 4 ) Estão de bem mas não se falam muito, portanto não é um problema para nós.
( 1 ) Diz que seu ex “maluco” está com ciúme de nós e eu não tenho que me preocupar, mas eu suspeito que eles ainda se falam. Eu sinto que estou sempre competindo com outros pela atenção do meu parceiro/a.
( 2 ) Eles são amigos e isso me incomoda. Mas eles sempre foram amigos então não é da minha conta.
( 3 ) Ele/ela nunca fala do ex e nós nunca discutimos essa questão.

12. Como foi o relacionamento de vocês no início?
( 1 ) Extraordinário! Nada comparado com qualquer parceiro anterior. Havia tanta coisa em comum, parecíamos perfeitos um para o outro. Eu era o centro de suas atenções, me cumulava de mimos e elogios.
( 2 ) Como qualquer início de relacionamento. Fomos nos conhecendo e descobrindo muita coisa em comum. As coisas se acomodaram, mas ainda gostamos muito um do outro. Houve uma fase de lua de mel, mas acabou, e tudo bem.
( 3 ) Nada de especial no início. Saímos algumas vezes e percebi algumas coisas das quais não gostei, mas no geral estava bom. Com o tempo, fomos nos acostumando um com o outro.
( 4 ) Éramos grandes amigos. O relacionamento não andou rápido, mas ríamos bastante juntos e nos divertíamos. Todos os meus amigos e minha família gostaram muito dele/ela, e estamos felizes até hoje.

13. Como essa pessoa trata você?
( 1 ) Nem sei mais. Temos dias bons de vez em quando, iguais ao início maravilhoso e perfeito. Mas em geral a pessoa me critica e me diz o que tenho que fazer, ou então me ignora. Eu estou muito sensível e me sinto enlouquecer por causa do seu comportamento que me machuca.
( 2 ) Geralmente a pessoa não me trata muito bem, mas sempre foi assim. Eu não preciso de muito afeto nem gentileza, então está tudo bem.
( 3 ) Assim como todos me tratam. Brincamos, nos divertimos e gostamos da companhia um do outro. Nós nos tratamos como adultos.
( 4 ) A pessoa se esmera em me ouvir e entender o que sinto. Sempre me respeita e se preocupa comigo, sempre pronto para conversar e melhorar sua conduta para ajudar a melhorar o nosso relacionamento.

GABARITO:
( 1 ) Típico psicopata
( 2 ) Traços psicopáticos mas pode ainda não ter chegado na fase final
( 3 ) Pouco provável que seja psicopata
( 4 ) Não é psicopata


------------------

Gratidão, Julia Barany!

Denuncie,
peça as Medidas Protetivas,
 se não te atenderem,
corra atrás para que Justiça seja feita,
não permita que o agressor saia impune!
 Se não tens como te livrar,
desse relacionamento opressivo,
obsessivo e possessivo,
se estás em situação de violência e/ou risco,
se estás sendo ameaçada:
Denuncie 180
Antes que ele te mate...
Busque ajuda profissional
(psicológica e/ou psiquiátrica),
porque sozinha,
 não dá para enfrentar essa barra.
Maria Teresa

0 comentários:

Postar um comentário