Com amor, todo sonho é possível

O que eu faço se uma amiga estiver sofrendo violência?

   

O que faço se uma amiga estiver sofrendo violência? 
Nenhuma descrição de foto disponível. A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up e texto


A imagem pode conter: texto


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

Primeiro, paciência e empatia. 
Quem está do lado de fora do relacionamento abusivo
 consegue perceber com mais facilidade. 
Mas a vítima, não! 
Ela vive em uma realidade diferente da do seu parceiro, 
enquanto ela acredita que é um amor verdadeiro,
 ele sente apenas superioridade e posse.
 O agressor não vê a sua vítima de igual para igual, 
ele reiteradamente vê o seu relacionado como uma competição.
 Assim, não se engane: se ele perder,
 fará de tudo para acabar com a autoestima da parceira.
 Por isso, é preciso que - aos poucos -
 você tente fazê-la enxergar essa condição. 
É complicado imaginar que, 
alguém que você escolheu para a vida, pode ser agressivo,
 hostil, maldoso, alguém que só pensa em si mesmo e
 em suas próprias vontades. 
Enfatize que a culpa não é dela, 
que ela não pode se responsabilizar pelas atitudes
 de uma pessoa descompensada.
 Demonstre seu interesse em estar ao seu lado,
 muitas vítimas se sentem sozinhas,
 pois o agressor as afastam de pessoas próximas. 
Demonstre também que, independentemente do que acontecer, você está ali. 
Novamente, paciência. 
Pode ser que a vítima demore um tempo para sair do relacionamento. 
Algumas não conseguem acreditar que
 - aquele relacionamento em que ela gastou tempo,
 sentimento, abdicação - é tudo mentira. 
Encoraje-a a denunciar, a ir até à delegacia (inclusive, acompanhe-a). 
E, acima de tudo, empatia... 
Coloque-se no seu lugar,
 não faça julgamentos, não aponte “dedos”. 
PS.: Não é apenas a vítima que pode denunciar a violência contra a mulher,
 você também pode. Denuncie, ligue 180! #estuproécrime#mulheradvogada

#ParaCegoVer Imagem de duas mulheres com a seguinte fala: “Como posso ajudar a minha amiga?”
Infelizmente, pelo julgamento da sociedade ou medo e vergonha da vítima, a violência sexual é pouco denunciada.
De acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 52% das mulheres não denunciam.
Conheça algumas formas para relatar o crime ocorrido: 

📌 Disque 180 - É a Central de Atendimento à Mulher em situação de violência. Reservado apenas aos casos de abuso e agressão contra as mulheres, é um serviço de utilidade pública e gratuito. O atendimento funciona 24 horas. Ao fazer a ligação, você relata o fato e efetuam o registro que - posteriormente -será enviado para a Secretaria de Segurança Pública.

📌 Delegacia - Tanto uma delegacia comum quanto a delegacia especializada (DEAM - Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) receberão a notícia do crime e efetuarão o registro do boletim de ocorrência. Recomenda-se que, no caso de infrações penais que deixam vestígios (como o estupro, por exemplo), não haja demora, pois é necessária a realização do exame de corpo de delito. Leve todas as provas (se tiver) com você!

📌 E-mail
Você pode relatar o fato enviando um e-mail para ligue180@mdh.gov.br

#paracegover Fundo Branco com a frase: “saiba como denunciar violência sexual”. #estupro#denuncie
A imagem pode conter: texto
[AVISO DE GATILHO]

Minha vida sempre foi complicada.
Fui fruto de um estupro (meu pai violentou minha mãe, detalhe que ele era marido dela na época e pai dos meus 2 irmãos).
Cresci em um lar desestruturado, pai alcoólatra, mãe depressiva, irmãos que presenciaram agressões físicas
Cheguei a adolescência com depressão e ansiedade, me submetia a relações com pessoas tóxicas (ficantes e amigos), me mutilava.”

#paracegover Fundo branco escrito “a violência doméstica e familiar não afeta só a vítima, mas a família toda.” #estuproécrime #violenciadegenero

Gratidão, Paulo Torres‎!




Denuncie,
peça as Medidas Protetivas,
 se não te atenderem,
corra atrás para que Justiça seja feita,
não permita que o agressor saia impune!
 Se não tens como te livrar,
desse relacionamento opressivo,
obsessivo e possessivo,
se estás em situação de violência e/ou risco,
se estás sendo ameaçada:
Denuncie 180
Antes que ele te mate...
Busque ajuda profissional
(psicológica e/ou psiquiátrica),
porque sozinha,
 não dá para enfrentar essa barra.
Maria Teresa


Agradecemos a Deus e, 
aos Anjos que Ele colocou em nosso caminho,
que ouviram nossas dores, temores e pavores, com muita paciência,
tendo sempre uma palavra de confiança e esperança, 
para nos confortar...
Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

2 comentários:

  1. Complicado...
    Lembro-me de uma época em que eu e minha família tentamos interferir em um caso de violência doméstica. Conseguimos até colocá-lo para fora de casa com separação de corpos, mas ela deixou ele voltar. Ainda disse que ele nem era tão ruim assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão, Ana!
      Cada caso é um caso, Ana, se eu tivesse advogado habilitado e capaz para acompanhar meu caso, não teria acontecido tudo que aconteceu, de ter que voltar pois ele estava ameaçando a todos, hoje todos mentem...
      Abraços carinhosos
      A única culpada sou eu...

      Excluir