Yahsat


Com amor, todo sonho é possível

Lembra que louca é a primeira coisa que se diz a uma mulher quando a querem silenciar!


Excelente texto postado em:
Psicofobia É Crime- Denuncia Colétiva 
— pensando sobre fazer algo maluco

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé
Joana de Castela, a Doida da Espanha
" Quando te disserem que você é louca, lembre-se que num dia 6 de novembro, nasceu Joana de Castela, uma Rainha que nunca foi louca, nunca!
Joana, a casaram aos 16 anos com um rapaz a quem chamavam “o lindo”, (Felipe, o lindo) mesmo que não fosse. (de acordo com os retratos, era bem feio)
O cara se beneficiou desde o primeiro dia de todas as senhoras da corte.

Joana se zangava logicamente, porque exigia um respeito que a ela não era dado.

Nem como mulher, nem como Rainha, nem como esposa.
E é por isso que a chamavam de louca.
Quando o seu marido morreu, Joana reivindicou o trono de Rainha de Castela, que a ela estava destinado.
O Rei Fernando, o seu próprio pai, não queria que Joana reinasse.
Então, decidiu que ela estava louca. E trancou-a.
Joana, além disso, ainda era jovem e muito bela.
O Rei temia que voltasse a casar-se e contasse com um homem que a apoiasse na luta pelo trono. Melhor presa...
Quando o seu filho Carlos foi visitá-la, dizem que ela "lhe cedeu graciosamente" o poder. Mentira!
Carlos Obrigou-a a assinar e deixou-a lá: Presa!
Joana era uma mulher culta, que falava latim e escrevia poesia...
Mas a história a chamou de Joana, a louca e não Joana, a prisioneira.
Joana de Castela é uma de tantas mulheres a quem a história negou sua verdadeira voz.
Da próxima vez que te chamarem louca, lembra que louca é a primeira coisa que se diz a uma mulher quando a querem silenciar!

Tradução do texto de Paco Alonso


“Eu gosto é de gente doida!” – Ariano Suassuna fala sobre a inteligência da loucura

Do site Psicologias do Brasil
Aquilo que chamamos de loucura, normalmente, tem a ver mais com diferenças sociais e culturais do que com doenças biológicas. Não são poucos os teóricos da psicologia tiram os pesos dos rótulos do comportamento humano e denunciam como a loucura é usada para segregar e oprimir grupos sociais menos favorecidos.
Ariano Suassuna fala aqui, com muita irreverência, do quanto uma pessoa que é chamada de doida, na verdade, pode ser alguém com uma criatividade e criticidade mal reconhecida pelo seu meio.
“Eu gosto muito de história de doido. Não sei se é por identificação. Mas eu gosto muito. Eu tenho um primo, Saul. Uma vez ele disse para mim. “Ariano, na família da gente quem não é doido junta pedra pra jogar no povo.”
Não sei se é por isso, mas eu tenho muito interesse por doido, pois eles veem as coisas de um ponto de vista original. E isso é uma característica do escritor também, o escritor verdadeiro não vai atrás do lugar comum, ele procura o que há de verdade por trás da aparência. O doido é danado para revelar isso!
Meu pai governou a Paraíba de 1924 a 1928, tanto que nasci no palácio. Em 1963 houve um congresso literário na Paraíba e eu fui, o governador do Estado ofereceu um almoço, quando eu fui entrar o guarda me parou. Perguntei por que eu não podia entrar e ele disse. “O senhor tá sem gravata.”
Eu não uso gravata.
E eu disse. Você veja uma coisa. Essa é a segunda vez que estou entrando nesse palácio, a primeira vez eu entrei nu e ninguém reclamou ( É que eu nasci lá, viu).
Meu pai quando era governador, construiu um hospício e colocou o nome do maior psiquiatra brasileiro da época. No dia da inauguração, muito orgulho da obra que tinha feito, meu pai chegou lá, os médicos todos de branco e entraram os doidos com uns carrinhos de mão que haviam sido adquiridos pelo governo pra iniciarem a tal psicoterapia pelo trabalho.
Um dos doidos estava com o carro de mão de cabeça pra baixo. Aí meu pai chamou ele e disse. “Olha, não é assim não que se carrega, é assim…” E o doido respondeu, eu sei doutor. Mas é que se eu carregar de cabeça pra cima eles colocam pedra dentro pra eu carregar.
Não era um doido, era um gênio de uma cabeça formidável!”
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto
"Não há saúde física sem saúde mental.
O adoecimento de nossas emoções desencadeia, em nosso corpo, doenças geneticamente predispostas.

O corpo não é outra coisa senão a caixa de ressonância das nossas vibrações energéticas e do acúmulo de nosso lixo emocional. O que não vira palavra, vira sintoma. Verbalize, se ouça dizendo sobre suas angustias, quantas vezes precisar.

A dor psíquica é como queimadura, só se cura de dentro para fora, pouco a pouco até não doer mais. Fale, fale, fale. Não engula o choro.
Psicofobia É Crime- Denuncia Colétiva 

Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

0 comentários:

Postar um comentário