Com amor, todo sonho é possível

1 Projeto por mês: "É preciso crer, para ver acontecer!"




"É preciso crer, para ver acontecer!"

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
🌹Bom dia😁
"FELIZES são aqueles que tem FOME e SEDE

 de fazer a vontade de DEUS
 pois ficarão completamente satisfeitos"
#EuApoioOutubroRosa🙏🏻😘






Projeto que iniciou em janeiro de 2014,
elaborado e coordenado pela Márcia - Blog Poções de Arte
Vai lá para conhecer e participar: aqui!
Gratidão, Márcia e participantes,
pelo apoio e carinho que nos incentivam a CAMINHAR!
Poções de Arte Márcia - Mudança de Rotina e Planejamentos


Projeto do mês: "É preciso crer, para ver acontecer!"

Projeto anterior:
31/08/2018 - "Persista sempre, não perca o FOCO"



"O interesse pela vida dos outros faz mágicas e,
sua falta causa desastres."

Alfred Adler, famoso psicólogo vienense,
certa vez escreveu em uma de suas obras:
"É o indivíduo que não está interessado no seu semelhante
quem tem as maiores dificuldades na vida e
causa os maiores males aos outros.
É entre tais indivíduos que se verificam todos os fracassos humanos."
A reflexão é valiosa e séria.
Não há adversário mais competente que este,
para se combater o orgulho e o egoísmo.
O interesse sincero pelo próximo
 nos mostra que não somos melhores que os outros,
que somos irmãos.
O interesse sincero pelo próximo
nos faz dividir nossa atenção,
nossa vida e tudo mais,
com esses que nos cercam.
A alma que mais se interessou
pela vida de seu semelhante,
quando esteve na terra,
sempre deixou claro que a Lei Maior
que deveria reger nossa vida em sociedade seria:
fazer aos homens tudo o que queríamos que eles nos façam,
pois é nisso que consistem a Lei e os Profetas.
O interesse pela vida do outro
é o germe do Amor Maior,
que todos buscamos.
O interesse pela vida do semelhante é o caminho
mais seguro e prazeroso para a almejada felicidade.

"Olhe para a fraqueza dos outros com compaixão, não com acusação.
A questão  não é o que estão ou deveriam estar fazendo e,
sim a sua reação e o que você deveria estar fazendo." (Stephen R. Covey)

Texto com base no cap. 6, parte 2,
livro "Como fazer amigos e influenciar pessoas" Dale Carnegie
Enviado por Ana Maria Jr. (Nadalém)


Embora a consciência nos pese e diga que Deus está zangado,
 mesmo assim, Deus é muito maior do que o nosso coração.
 A consciência é apenas uma gota;
 Deus reconciliado é um oceano de consolação.
Há sempre esperança para aquele que busca consolo NELE.

 

Do encontro de almas sensíveis e
preocupadas com o bem estar do próximo,
em 26/08/2018,
foi criado o Projeto: "Por um Propósito... AICAN "
(Ação das Irmãs do Canjica),
cujo maior objetivo é:
"OCUPAR-SE, PARA NÃO SE PREOCUPAR"
O Projeto AICAN se propõe a aproveitar retalhos,
para a confecção de mantas para bebês.

Nossa eterna gratidão às irmãs Priscila e Simone,
idealizadoras do Projeto...

 

1ª Reunião 15/9/2018: Irmãs Simone, Daniela, Priscila e eu.

  

2ª Reunião 21/09/2018: Mug Rug (técnica nine patch)


Irmãs Simone, Priscila, Cristina, eu e Keila


3ª Reunião 28/09/2018: montagem (patch, manta e forro)
quilting e refilamento da peça.
Irmãs Keila, Priscila, eu e Simone.


No dia 22/09/2018, meu filho Marcos, minha nora Sharlene,
meus netos Matheus e Vitória me levaram para conhecer o Rian,
passamos no Mc Donald's,
que delícia, amei...
Gratidão, Sharlene e Marcos!

  

  
 

 

Almir e Tati, Deus abençoe e proteja, poderosamente, a vocês e ao Rian!
  


Parte da família que se reuniu na casa
do Almir, Tatiane e Rian:
4 filhos, 4 noras e 6 netos,
ainda faltam 2 filhos, 2 noras e 5 netos.
Gratidão a todos pelo carinho e pela alegria
 que me proporcionaram,
conheci o mais novo membro da família, Rian,
Deus abençoe e proteja, poderosamente, a todos.

  

 

Continuo sem internet,
agradeço a compreensão de todos,
tento na medida do possível,
 passar as razões e emoções,
que me motivam todos os dias
a levantar e agradecer a Deus,
pelo milagre da vida.

Gratidão, Márcia e participantes,
pelo apoio e carinho que nos incentivam a CAMINHAR!

"Que a luz não se apague nos corações
de quem sempre está pronto a mudar e,
principalmente,
que brilhe cada vez mais forte a luz
daqueles que nunca desistiram de tentar."


Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

Sintomas comuns que vítimas dos psicopatas apresentam

Agradeço a Deus pela oportunidade de conhecer e
receber o excelente material da psicanalista Dra. Julia Barany,
"para sobreviventes de psicopatas"
a quem pedi licença para publicar aqui,
assim sendo, à medida que receber,
farei a publicação.
Gratidão,  Dra. Julia Barany!
A imagem pode conter: texto
Serenidade

[PeN] Sintomas comuns que vítimas dos psicopatas apresentam


Quando você se deparar com um parente ou amigo ou colega de trabalho que mudou muito, que nem parece ser a mesma pessoa que você conheceu antes, preste atenção.

Se antes essa pessoa era alegre e leve, agora está triste, pesada e esquisita.
Se antes essa pessoa parecia caminhar por sua vida e conseguir vencer os obstáculos, agora parece ter perdido a vontade de continuar.

Se antes essa pessoa era relativamente independente, com opinião própria, agora não faz nada sem o seu parceiro, sem sua aprovação.

Até fisicamente, a pessoa enfeiou. Anda adoentada, toma antidepressivo.
E você se pergunta, o que será que está acontecendo?

Os amigos foram se afastando. Os colegas de trabalho também. Até a família não frequenta mais a sua casa.
Ela se culpa o tempo todo de coisas que nem fez.

Chora mais do que deveria, as lágrimas estão sempre prestes a brotar, por qualquer motivo bobo até.
Definha.

A pessoa não consegue entender tampouco o que foi que aconteceu e busca, e busca, onde é que ela fez algo de errado para tudo descambar desse jeito.
Esmera-se cada vez mais em agradar o companheiro, e a situação apenas piora.
Faz coisas que antes jamais faria. Só para alcançar um pouco de alívio que seja nessa situação horrorosa, insustentável.

E ele não se contenta com nada. Abandona-a cada vez mais longamente. Parece até estar em busca de outras opções.

Você ainda lembra como foi luminoso o casamento deles, o quanto ela estava feliz, declarando aos quatro ventos que finalmente havia encontrado o homem de seus sonhos. E foram viver um conto de fadas tornado realidade. Por um tempo.
Você conhece uma história assim?

Parece com tantas histórias de desilusão amorosa. Mas preste atenção, porque nessa história pode estar escondido um personagem tenebroso que age sorrateiramente para que tudo pareça assim mesmo, e ele se fazendo de vítima. Uma versão do avesso da verdadeira.

Preste atenção, porque essa pode não ser uma comum história de desilusão amorosa.

Preste atenção, porque aqui pode estar escondida uma armadilha.
E a perda ser muito maior do que você jamais poderia ter imaginado.

As aparências enganam?
Enganam, e como!
Aguce o olhar, veja por trás das aparências.
Você sabe o que pode estar escondido nessa história?
Se você quer realmente ajudar essa pessoa, você sabe como?
E se essa pessoa for você mesmo?
Julia Barany
Equipe Superasas
Gratidão,  Dra. Julia Barany!

COMO SEU CÉREBRO ADMINISTRA UM TRAUMA

  


tradução livre por Julia Bárány de trechos de https://lovefraud.com/after-the-sociopath-managing-how-my-brain-manages-trauma/

Depois que você sofreu um trauma, seu cérebro assume uma tarefa. Ele se compromete a proteger você
 pelo resto da vida. Dali em diante, seu trabalho é de garantir que você sempre esteja totalmente seguro.
Ao adormecer você se torna vulnerável, entregue ao ambiente e às circunstâncias sem poder se proteger.
 Nesse estado você poderá ser traumatizado novamente, e foi o que aconteceu quando você era criança,
 por exemplo. Os pensamentos e as imagens que inundam sua mente quando você tem insônia são manobras
 do seu cérebro para manter você acordado e poder se defender caso necessário.
Você pode ver imagens de violência, ter pensamentos de situações amedrontadoras, de impotência,
 de angústia, de ansiedade, e isto tudo é calculado pelo seu cérebro para que você se mantenha vigilante.
 Esses pensamentos não cessam porque o comprometimento do seu cérebro é com sua proteção.
Então o que fazer?
Tenha uma vida apaixonante, viva bem o seu dia a dia, e transforme suas horas acordadas em horas
 significativas e com propósito.
As imagens de violências vão continuar ocorrendo, mas se você for dormir após um dia bem vivido,
 terminando-o satisfeito consigo mesmo, elas tenderão a durar pouco. Sua satisfação por ter feito o melhor 
que pode do seu dia o acalentará para o sono.
O seu cérebro ama você do melhor jeito que consegue. Então use o exercício de contar carneirinhos e
 coloque no lugar dos carneirinhos os vários momentos de prazer que você conseguiu ao longo do seu dia.
Julia Barany
Equipe Superasas

                                Gratidão,  Dra. Julia Barany!




Denuncie,
peça as Medidas Protetivas,
 se não te atenderem,
corra atrás para que Justiça seja feita,
não permita que o agressor saia impune!
 Se não tens como te livrar,
desse relacionamento opressivo,
obsessivo e possessivo,
se estás em situação de violência e/ou risco,
se estás sendo ameaçada:
Denuncie 180
Antes que ele te mate...
Busque ajuda profissional
(psicológica e/ou psiquiátrica),
porque sozinha,
 não dá para enfrentar essa barra.
Maria Teresa


#vamosfalarmaisclaro

Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

Os tijolos do caráter psicopático


Agradeço a Deus pela oportunidade de conhecer e
receber o excelente material da psicanalista Dra. Julia Barany,
"para sobreviventes de psicopatas"
a quem pedi licença para publicar aqui,
assim sendo, à medida que receber,
farei a publicação.
Gratidão,  Dra. Julia Barany!
A imagem pode conter: texto
Serenidade




O aspecto emocional e interpessoal da “falta de empatia”
De Christine Louis de Canonville, tradução de Júlia Bárány

Os psicopatas mostram falta de sentimentos para com as pessoas em geral; eles são frios, desdenhosos,
 sem consideração, e lhes falta tato (Hare, 1999).
Esta falta de empatia é a base de muitas características deles – mentira patológica, emoções rasas, 
violência chocante, falta de vergonha, egocentrismo, falta de remorso, enganação, manipulação, etc.
Tendo sua empatia literalmente “desligada”, insensíveis, eles pensam somente em si mesmos.
Parece que não ter empatia surge de anormalidades no circuito da empatia do cérebro, deixando os
 psicopatas subdesenvolvidos nas reações empáticas.
Por isso, eles podem ser determinados e insensíveis, e indiferentes aos direitos e ao sofrimento dos outros.
 Eles são tão famintos emocionalmente quanto os androides. Sem a capacidade de experienciar
ligações emocionais reais, eles não possuem senso de dever moral com relação a ninguém
além de seus próprios interesses.
Eles tratam os vulneráveis com desdém porque os psicopatas veem a vulnerabilidade como fraqueza. 
Para eles, quem é fraco merece ser explorado. Incrivelmente, eles conseguem justificar suas ações, e
 até racionalizar que eles, de alguma maneira, são de fato a vítima.
 Esta falta de empatia permite-lhes desumanizar as pessoas em meros objetos para serem manipulados. 
A psicopatia começa cedo na vida (no que tem sido rotulado “distúrbios de conduta infantil”).
Esses indivíduos podem ter torturado animais, abusado de membros da família ou cometido atos
 a sangue frio contra os outros enquanto cresciam. Parece que essa falta de empatia os deixa incapazes
 de se colocar no lugar do outro a fim de entender e identificar-se com suas situações e seus sentimentos. É como se os psicopatas simplesmente carecessem da capacidade de construir fac-símiles mentais e emocionais de outra pessoa. 
Por falta de empatia, os psicopatas são muito atraídos a pessoas altamente empáticas como fonte de suprimento.
Os empatas são capazes de se colocar nos sapatos do narcisista, dando-lhe o cuidado, o calor, o consolo e
 a atenção que ele anseia. Infelizmente, a empatia da vítima também os arma de forma que alimenta 
a necessidade psicopática de poder e domínio, dando ao psicopata o controle sobre as emoções
 de sua vítima e mantendo-a enganchada no relacionamento.
Porém, eu não estou convencida de que o consciente empático do psicopata esteja preso no zero. 
Provavelmente, os psicopatas sabem como ligar e desligar seus interruptores de empatia, e até misturam
 empatia para capturar o estado emocional do outro. Isso os torna mais eficientes quando se trata de saber
 quais botões apertar com o propósito de o outro morder a isca e se enganchar no anzol.
Eles também parecem saber como usar a empatia como um solvente para resolver problemas de
 relacionamento e penetrar na mente dos outros. De fato, sua compreensão de empatia lhes permite 
usá-la a seu próprio favor tornando-se altamente competentes e eficientes na variedade e no alcance
 do abuso. Mas empatia é uma emoção complexa, portanto é preciso entender de início que as pessoas
 podem cometer as coisas mais horríveis, identificando-se intimamente com suas vítimas, e 
aprender a viver com a angústia que se acumula (Turvey, 2012).
Há muitos incidentes de psicopatas que mostraram empatia para com suas vítimas na cena de um crime.
 Por exemplo, o estuprador estendendo um casaco para sua vítima, ou o sequestrador decidindo não
 machucar uma vítima quando ela chora, e até devolvendo-a para o lugar de onde a sequestrou. 
Às vezes o psicopata irá concordar com considerar um pedido da vítima, como usar um preservativo
 durante o estupro, desamarrando suas mãos ou pedindo desculpas depois da ofensa.
O que o psicopata realmente carece é geralmente um senso de compaixão. Michael Stone, um psiquiatra
 forense, afirma que os psicopatas usam a empatia a seu favor. Mesmo os assassinos em série sabem 
que quando uma criança chora, ela está sofrendo provavelmente porque foi separada de sua mãe.
 Enquanto uma pessoa compassiva sente tristeza pela criança e toma medidas para encontrar a mãe, 
o psicopata usa a oportunidade para levar a criança pela mão e finge levá-la para a mãe, mas em vez disso 
a sequestra (como foi o caso de Jamie Bugler, de dois anos de idade, que foi assassinado por dois garotos
 de dez anos de idade, Venables e Thompson).
Falta de empatia é um aspecto essencial do distúrbio de personalidade narcisista (DPN), e é o que mantém
 o narcisista patológico preso nas suas posições constantes de adversidade e oposição.





COMO É POSSÍVEL ESTAR APAIXONADA PELO SEU ABUSADOR?


COMO É POSSÍVEL ESTAR APAIXONADA PELO SEU ABUSADOR?

Ouço histórias contadas por advogados que tentam por todos os meios legais proteger as vítimas de abuso psicopata quando, no momento crítico, quando o caso parece que vai se resolver, a própria vítima passa a defender o seu abusador. Então o caso desmorona e a vítima perde tudo a que tinha direito, e às vezes mais.
Também em situações sociais ou familiares isso acontece: a vítima que sofre de abuso na intimidade do lar, defende perante os outros o próprio abusador, anulando qualquer chance de se livrar do abuso.
Donna Andersen, em seu artigo acima citado, conta a história de Victoria Cilliers, a segunda esposa de Emile, que foi condenado diante de provas irrefutáveis, por ter tentando matar sua mulher e seus dois filhos.
Emile Cilliers é um sargento do exército britânico. Em abril de 2015 ele danificou o paraquedas de Vicky antes de ela saltar (os dois praticavam o paraquedismo). Ela caiu por 1.300 metros, ficou gravemente ferida, mas milagrosamente se salvou. No início daquela mesma semana, Emile danificou o encanamento de gás da casa deles. Caso tivesse explodido, teria matado Vicky e os dois filhos.
Embora o tribunal o julgasse culpado, Vicky não consegue acreditar que o marido seria capaz de assassiná-los. Ela declara que não pretende divorciá-lo e disse aos filhos que o pai “está fora trabalhando”.
As evidências de que Emile Cilliers é um psicopata são:
Ele tentou matar sua esposa duas vezes no espaço de uma semana.
Ele queria estar com sua amante e se livrar das dívidas – matando Vicky e recebendo o seguro de vida dela ele realizaria as duas coisas.
Ele mentia. Muito.
Ele tinha dois filhos com sua namorada da adolescência e os abandonou a todos.
Ele se casou com a primeira esposa sem terminar o relacionamento com a primeira namorada.
Ele se casou com a segunda esposa, Vicky, mas continuou frequentando a cama da primeira esposa.
Ele praticava sexo casual e frequentava clubes de sexo.
Ele buscava excitação a todo custo.
Ele proclamava sua inocência apesar de substancial evidência de ser culpado.

Vicky admite que o marido mentia, desviava dinheiro e a traía. Então, por que ela não acredita que ele podia matá-la?
A resposta: dissonância cognitiva, vício no psicopata e Síndrome de Estocolmo, ou vínculo traumático.
Dissonância cognitiva é um estado que se baseia na necessidade de os seres humanos estabelecerem harmonia entre suas crenças e suas ações. A dissonância e o conflito são gerados quando não há essa harmonia, quando acreditamos em algo que depois os fatos desmentem, ou quando nossas crenças e nossas ações não combinam.
Para resolver essa dissonância, lançamos mão das seguintes estratégias:
  1. Mudamos a crença ou a conduta
  2. Buscamos novas informações que contrapesam a crença dissonante
  3. Reduzimos a importância das crenças
Como é que uma pessoa se vicia no psicopata?
  1. O prazer do início do relacionamento estabelece um vínculo psicológico.
  2. A segunda fase do relacionamento, quando o psicopata começa a criar medo e ansiedade, ameaça de abandono, tratamento dúbio uma vez agrada outra vez repele, fortalece o vínculo psicológico.
  3. A vítima busca alívio da angústia e do medo junto ao próprio psicopata, o que estreita ainda mais o vínculo psicológico.
Segundo Donna Andersen, Vicky já tinha o vínculo traumático com o abusador antes do acidente com o paraquedas. Tendo que lutar com as graves consequências do acidente e dois filhos pequenos, sua psique estava sobrecarregada. Ela não conseguiria processar mais um choque que é o fato de o marido ser um assassino. Negando, ela se protegeu de algo que a poderia desestruturar completamente. Talvez um dia ela seja capaz de ver os fatos como eles são.



Denuncie,
peça as Medidas Protetivas,
 se não te atenderem,
corra atrás para que Justiça seja feita,
não permita que o agressor saia impune!
 Se não tens como te livrar,
desse relacionamento opressivo,
obsessivo e possessivo,
se estás em situação de violência e/ou risco,
se estás sendo ameaçada:
Denuncie 180
Antes que ele te mate...
Busque ajuda profissional
(psicológica e/ou psiquiátrica),
porque sozinha,
 não dá para enfrentar essa barra.
Maria Teresa


#vamosfalarmaisclaro

Agradeço a Deus, pela minha Vida,
 que o Senhor Jesus resgatou e restaurou!
Agradeço a Deus, que por Sua Graça e Misericórdia,
me permite servi-Lo com alegria!
Abraços carinhosos

Atualize-se, a situação está mudada!!!


Atualize-se, a situação está mudada!!!

Hoje, graças a Deus,
a situação está mudada,
não fique à mercê de um psicopata,
se está em um relacionamento
de abuso e/ou violência,
denuncie,
não fique como eu,
que com 2 anos de casada,
quis me divorciar,
mas fui obrigada a suportar
por mais de 30 anos:
traições, humilhações, agressões e
várias tentativas de morte,
porque o elemento dizia que:
-"Casamento para ele era para sempre,
até que a morte nos separe."
E, mesmo depois de denunciar,
a DP arquivou e
simulou abrir uma representação contra o indivíduo.
Com 69 anos,
convivo com o medo,
aguardando por decisão da Justiça,
enquanto o "predador-poderoso"
circula livremente por aqui...
Maria Teresa

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

🌡Nenhuma mulher escolhe viver uma relação abusiva e nenhuma delas está preparada para reagir a isso. O sentimento de culpa e de esperança de que a primeira violência não vai mais se repetir é muito comum. É difícil identificar uma relação doentia quando se está dentro dela, mas existem comportamentos e ações que precisam ser observados - eles podem evoluir para formas de abuso muito mais graves.

A Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica da Paraíba elaborou um ranking da violência chamado “Violentômetro”. Trata-se de um folder com um rol de ações e atitudes inadequadas em relação à mulher que, se não forem contidas, podem evoluir para ofensas, ameaças, violências físicas e culminar na ocorrência do feminicídio.
Conheça: http://bit.ly/Violentometro

Mulher, se você estiver sofrendo algum tipo de violência, denuncie! Disque 180 

Descrição da imagem #PraCegoVer e#PraTodosVerem: fotografia de uma mulher séria, olhando para a frente. O fundo da foto é em gradiente, de uma cor clara para uma cor escura. Texto: Se você está convivendo com piadas ofensivas, chantagem, mentiras, ciúme excessivo, culpa, ridicularização, humilhação ou intimidação, tome cuidado, a violência pode aumentar! Clique e veja o que pode acontecer. Se você está sendo controlada ou machucada, reaja! Mas se acontecer de você ser confinada, ameaçada, abusada sexualmente, violentada ou mutilada, procure a polícia e a Justiça. Evite que essa relação leve à morte. CNJ

CNJ organiza e fiscaliza proteção à mulher em 27 estados

files/conteudo/imagem/2018/08/a22b8f50bb1b9129301fb7fb56b29aa4.png
O folder orienta as mulheres a prestarem atenção em comportamentos e ações que, se não contidas, podem evoluir para ofensas, ameaças e abuso sexual. Por possuir uma mensagem clara e direta, a juíza auxiliar da Presidência do CNJ tem sugerido às demais coordenadorias a adoção de um material similar para prevenção aos crimes contra a mulher.
No Maranhão, a coordenadoria da mulher chama a atenção por sua estrutura física e de atendimento, com profissionais que foram treinados para o atendimento da violência contra a mulher.

Denuncie,
peça as Medidas Protetivas,
 se não te atenderem,
corra atrás para que Justiça seja feita,
não permita que o agressor saia impune!
 Se não tens como te livrar,
desse relacionamento opressivo,
obsessivo e possessivo,
se estás em situação de violência e/ou risco,
se estás sendo ameaçada:
Denuncie 180
Antes que ele te mate...
Busque ajuda profissional
(psicológica e/ou psiquiátrica),
porque sozinha,
 não dá para enfrentar essa barra.
Maria Teresa